Tem Catimbaus No Entardecer - Jurua - Livrarias Curitiba

  • CENTRAL DE
    ATENDIMENTO
  • PERFIL
    • MEUS PEDIDOS
    • MINHA CONTA
    • SAIR
  • TELEVENDAS
    (41) 3330-5191
  • MEUS
    DESEJOS (0)
Meu carrinho (0 item)
    Buscar no site
    Tem Catimbaus No Entardecer - Jurua
    LV276499

    Quantidade: 1

    12345
    • OPÇÕES DE
      PARCELAMENTO
    • CONSULTE
      FRETE
    • ADICIONAR AOS
      MEUS DESEJOS
    Aconteceu no dia 7 de setembro de 1992. Juca Passarinho andava injuriado por causa da dívida que tinha com ele o sujeito da oficina mecânica. O que era só um aborrecimento transformou-se numa raiva sem controle. A mulher do carpinteiro Juca tentava acalmá-lo. Não vale a pena, dizia, brigar por tão pouco. Era um pequeno armário para guardar latas de óleo, estopa, chaves-de-fenda e outras ferramentas miúdas da oficina. Mas a questão não era bem o dinheiro, mas o desaforo. Seu Juca cobrava e o homem fazia corpo mole. ¿ Há um tempão, Moema, ele dizia à sua mulher, fiz o armário e o tipo não me paga. Até assume ares de que não precisa pagar e merece receber o armário de graça! Feriado, manhã fria, ruas desertas. Naquela noite, seu Juca quase não dormiu. Sua mulher também, porque choveu e ventou forte. O vento sacudiu os pinheiros na lateral da casa e jogou pinhas secas e ramos de sape no meio da rua. Dona Moema ficou com medo de que o vento arrancasse as telhas da casa. Pelas sete da manhã, seu Juca foi cobrar a dívida na oficina. Só para uma emergência, ou fazer o tipo ¿se borrar de medo¿, Juca Passarinho levou seu revólver calibre 38, cano longo. A arma na cintura seria um desacato, por isso foi junto seu filho, o menino Onofre, de 11 anos de idade, com o revólver escondido por baixo da japona. Onofre se lembra muito bem das batidas violentas que o pai deu, sacudindo a porta metálica usada na época. O homem levantou a porta e apareceu com olhos sonolentos. Foi para dentro da oficina e seu Juca atrás dele. Houve uma troca de palavras duras, aos gritos. Quando o homem disse ¿seu safado!¿, Juca Passarinho abriu a japona de Onofre e apanhou o revólver. Mas o homem também tinha uma arma que trouxe no bolso do macacão quando ouviu as batidas na porta. Atirou no seu Juca, que morreu com uma bala no peito e outra no pescoço. Ele tinha 32 anos de idade.

    CARACTERÍSTICAS

    EditoraJURUA EDITORA LTDA
    Edição1
    Ano da Edição2010
    AutorAMAURY BRAGA DA SIVA
    EAN139788536231693
    IdiomaPORTUGUES
    FormatoBROCHURA
    ISBN8536231696
    Altura21
    Páginas180
    Peso207 g.

    Avaliações do Produto

    Dúvidas dos Consumidores