Ícone Menu

1889 - Aut Paranaense

LV389695

De: R$ 49,90Por: R$ 42,91ou X de

Economia de R$ 6,99

Comprar
1889 - A REPÚBLICA ESPERADA...QUE NÃO CHEGOU! biografa o republicano histórico Julio do Carmo - companheiro de Lopes Trovão, Quintino Bocayuva, Saldanha Marinho, Silva Jardim, Nilo Peçanha, Ubaldino do Amaral e de toda uma plêiade de propagandistas da República da capital imperial - e revela que realidades históricas condutoras da busca de mudança de estruturas políticas, em certo nível, ainda persistem.
Assim, os esforços para derrubar o regime imperial e substituí-lo pela República, fruto da soma de interesses diversos, por um lado idealistas, que creditavam à República a solução dos problemas de parte da população brasileira, por sua participação ativa na política; de outro lado, o pragmatismo capitalista de parte dos produtores rurais que viam no regime republicano maior liberdade para realização de seus negócios. Esforços, que somados ao desgaste imperial com a abolição da escravatura e a sua inabilidade em conduzir os interesses militares, precipitariam a República.
Proclamada a República, passada a euforia inicial, os republicanos autênticos se dividem na capital republicana, parte, mais idealista, acredita que o aumento da participação popular, embora não muito expressiva, a maioria dos cidadãos eram analfabetos - o que os impedia votar -, poderia conduzir às demandas populares, posição adotada por Julio do Carmo; outra, mais pragmática e radical, propõe a imediata intervenção estatal na busca da solução das dificuldades populares, como, entre outras, a proteção e promoção da industrialização do país. Essa divisão fica clara quando do movimento jacobino inaugurado, na capital da República, por grande parte dos republicanos da propaganda. O idealismo democrático e o pragmatismo radical jacobinos, no entanto, seriam derrotados pelo pragmatismo agrário, frustrando aqueles que esperavam outra República.
A engenharia política inaugurada no novo regime conduziria à manutenção da mesma base de poder existente no Império, frustrando aqueles que imaginavam uma melhor divisão do poder político.
Inconformados com esse quadro se insurgiam aqueles verdadeiros idealistas republicanos, como Ruy Barbosa, Julio do Carmo, Lopes Trovão, Barata Ribeiro e tantos outros, que não viram concretizar-se a República por eles esperada.
O cenário que envolve a trajetória de Julio do Carmo revela um país que até a atualidade luta para superar suas históricas mazelas.

Avaliações do Produto

Dúvidas dos Consumidores