Produtos encontrados: 172 Resultado da Pesquisa por: em 10 ms

Itens por página:

Produtos selecionados para comparar: 0Comparar

  • 406188

    PRÉ-VENDA

    14,99 %

    Por Um Feminismo Afro Latino Americano - Pre Venda Com Brinde - Zahar

    sinopse
  • 389545

    +VENDIDOS

    15,66 %

    Pequeno Manual Antirracista - Cia Das Letras

    sinopse
    • Onze lições breves para entender as origens do racismo e como combatê-lo. Neste pequeno manual, a filósofa e ativista Djamila Ribeiro trata de temas como atualidade do racismo, negritude, branquitude, violência racial, cultura, desejos e afetos. Em onze capítulos curtos e contundentes, a autora apresenta caminhos de reflexão para aqueles que queiram aprofundar sua percepção sobre discriminações racistas estruturais e assumir a responsabilidade pela transformação do estado das coisas. Já há muitos anos se solidifica a percepção de que o racismo está arraigado em nossa sociedade, criando desigualdades e abismos sociais: trata-se de um sistema de opressão que nega direitos, e não um simples ato de vontade de um sujeito. Reconhecer as raízes e o impacto do racismo pode ser paralisante. Afinal, como enfrentar um monstro desse tamanho? Djamila Ribeiro argumenta que a prática antirracista é urgente e se dá nas atitudes mais cotidianas. E mais ainda: é uma luta de todas e todos.
  • 397996

    14,99 %

    Este Livro E Coisa De Mulher - Planeta

    sinopse
    • Nossa sociedade machista e patriarcal não costuma perdoar quando o assunto é a mulher e a sua liberdade. Por isso, este livro se tornou tão essencial para mim! Escrevê-lo passou a ser a minha missão e o meu modo de bater de frente com a sociedade. Muito do que você vai ler aqui talvez nunca tenha sido percebido ou questionado por você. Perceber essas nuances poderá causar um certo desconforto e, até mesmo, uma vontade maior de descobrir mais sobre o que é o feminismo e a luta das mulheres. Para isso, te convido para, página a página, abandonar julgamentos que recaem sobre nós e encontrar caminhos para ganhar mais liberdade e autonomia como pessoas, e mais do que isso, como mulheres! Vamos juntas?
  • 329441

    42,92 %

    Livro Da Sociologia, O - Compacto - Globo

    sinopse
    • Oitavo volume da coleção As grandes ideias de todos os tempos apresenta diversos pensadores que se dedicaram entender como as sociedades funcionam. Os seres humanos se organizam em grupos desde os primórdios de sua existência, no entanto, o estudo das relações entre os indivíduos em uma sociedade é recente. Com O livro da sociologia você vai conhecer melhor diversas teorias sobre o funcionamento das sociedades e como as pessoas podem torná-las melhores. Escrito por professores e pesquisadores, o livro apresenta as ideias de fundadores da sociologia como Émile Durkeim, Karl Marx e Max Weber, sem deixar de fora autores em atividade como Judith Butler, Zygmunt Bauman e Richard Sennett. Cada artigo inclui uma mini-biografia do pensador e linhas do tempo que contextualizam suas ideias de acordo com o momento histórico. A linguagem simples e o projeto gráfico dinâmico que marcam a coleção As grandes ideias de todos os tempos mostram como os conceitos sociológicos estão ligados a situações do nosso dia a dia. Sem complicar, O livro da sociologia é uma leitura prazerosa e informativa que vai agradar aos curiosos e ajudar os estudantes. Dividido em oito partes, O livro da sociologia aborda temas como- as desigualdades sociais, a vida moderna, cultura e identidade, o papel das instituições e família e sociedade. Quem acha que a sociologia estuda apenas a lutas de classes e relações econômicas, irá se surpreender com uma ciência humana que explora diversos aspectos de nossas vidas.
  • 423330

    PRÉ-VENDA

    14,99 %

    Careta Pra Chupeta

  • 423336

    PRÉ-VENDA

    14,99 %

    Notas De Um Filho Nativo

  • 423295

    PRÉ-VENDA

    14,99 %

    10 Historias Para Tentar Entender Um Mundo Caotico

  • 423368

    PRÉ-VENDA

    15,0 %

    Povo De Deus

  • 422807

    PRÉ-VENDA

    15,01 %

    Em Defesa Do Futuro

    sinopse
    • Vencedor do prêmio Erich Fromm 2020. Uma defesa radical e apaixonada do ser humano, de nossos direitos e liberdades universais e de nosso poder de mudar o mundo. Como preservar o que nos torna humanos em uma época de incerteza? Fomos reduzidos a meros consumidores moldados pelas forças do mercado? Uma sequência de DNA? Uma coleção de instintos básicos? Ou isso não faz mais diferença, porque em breve seremos suplantados por algoritmos e inteligência artificial? Para confrontar essas questões, Paul Mason propõe um humanismo radical. Para ele, a economia de livre mercado foi a porta de entrada para a cultura anti-humanista e fatalista que domina este início de século XXI. Por isso, a revolução que precisamos promover deve ser menos um evento político e mais a redescoberta da filosofia moral. Tendo por base suas reportagens sobre rebeliões e grandes protestos em massa ? como em Istambul e Washington ?, além de sua infância numa comunidade inglesa de mineiros, o jornalista e escritor atravessa temas variados que vão da economia ao Big Data, passando pela neurociência e as guerras culturais, para mostrar como a noção de humanidade ? do valor e da força coletiva e individual do ser humano ? tornou-se deteriorada como nunca antes. Mason argumenta que através da linguagem, da inovação e da cooperação ainda somos capazes de moldar nosso futuro, pois os seres humanos são muito mais que marionetes, clientes ou engrenagens numa máquina. Obra de otimismo radical, Em defesa do futuro nos faz uma pergunta definitiva: queremos ser controlados? Ou desejamos algo melhor? ?Emocionante, brilhante, radical. Uma defesa admirável dos humanos contra as máquinas.? ? The Guardian
  • 422815

    PRÉ-VENDA

    A Bailarina Da Morte - Acompanha Brinde

    sinopse
    • *livro será autografado pela autora Lilia Schwarcz e o marcador pela autora Heloisa Starling Contundente retrato do Brasil durante a pandemia de gripe espanhola, A bailarina da morte investiga a doença mortal que há um século assombrou a humanidade e revela trágicas semelhanças com a covid-19. Todos os livros comprados na pré-venda serão autografados pela autora Lilia Moritz Schwarcz e virão com um marcador autografado pela autora Heloisa Murgel Starling.* No início do século XX, uma doença chegou ao Brasil a bordo de navios vindos da Europa. A gripe espanhola, como ficou conhecida a explosão pandêmica de uma mutação particularmente letal do vírus H1N1, matou dezenas de milhares de pessoas no país e cerca de 50 milhões no mundo inteiro. Altamente contagiosa, a moléstia atingiu todas as regiões brasileiras. A ?influenza hespanhola? paralisou a economia e desnudou a precariedade dos serviços de saúde. Disputas políticas e atitudes negacionistas de médicos e governantes potencializaram o massacre, que vitimou sobretudo os pobres. Iludida por estatísticas maquiadas e falsas curas milagrosas, a população ficou à mercê do vírus até o súbito declínio da epidemia, no começo de 1919. A partir de um vasto acervo de fontes e imagens da época, Lilia Moritz Schwarcz e Heloisa Murgel Starling recriam o cotidiano da vida e da morte durante o reinado de terror da "gripe bailarina", uma das maiores pandemias da história. ?Um atestado visceral de que não se lembrar da própria história é condenar-se a repeti-la. Nesta história com toques de ciência e por vezes ciência em contexto histórico, temos uma oportunidade para reconhecer que já estivemos aqui antes, numa pandemia que de fato concluiu um século. Quem sabe desta vez aprendemos a lição?? ? Suzana Herculano-Houzel ?Entre negação da ciência, curas milagrosas e uma doença que escancarou as desigualdades sociais da época, os historiadores do futuro, ao analisar a brilhante obra de Lilia Moritz Schwarcz e Heloisa Murgel Starling sobre a pandemia de 1918 ? escrita durante a pandemia de 2020 ?, indagarão, perplexos: Mas como pode ser possível que, em cem anos, não aprenderam nada?? ? Natalia Pasternak ?Em um mundo já fragilizado pela Primeira Grande Guerra, a gripe espanhola colocou em evidência a vulnerabilidade humana diante de um novo vírus. Este livro narra com maestria as rotas e a velocidade de disseminação da doença, ao mesmo tempo em que acentua as dificuldades e os equívocos para seu enfrentamento no Brasil oligárquico da Primeira República. Convida-nos a refletir sobre o valor da imaginação histórica para a abordagem da crise contemporânea.? ? Nísia Trindade Lima *Em função da pandemia do novo coronavírus, não foi possível enviar os exemplares para serem autografados também pela autora Heloisa Murgel Starling.
  • 422805

    PRÉ-VENDA

    15,0 %

    Prisoes

    sinopse
    • Prisões: Espelhos de nós aborda a tragédia do sistema carcerário brasileiro. O livro mostra como a pandemia evidencia a calamidade que domina as prisões em todo o país. A incidência de Covid-19 em presídios é cinco vezes maior do que fora deles. Entre maio e junho de 2020, houve aumento de 800% nas taxas de contaminação nas prisões. Até julho de 2020, porém, a testagem da população prisional não chegava a 0,5%. Juliana Borges situa o impacto da pandemia na moldura mais ampla da política de encarceramento no país. O Brasil é o terceiro no ranking de nações que mais encarceram no mundo, com uma população de mais de 755 mil presos. Muitas prisões, contudo, são desnecessárias: mais de 30% dos presos ainda não foram sentenciados e a maior parte não está presa em razão de crimes graves. O livro acrescenta a esse cenário desolador o problema estrutural do racismo. Cerca de 75% dos homicídios ocorridos todos os anos no Brasil atingem negros. Dentre a população carcerária, cerca de 60% é negra. Os negros constituem o ponto de ligação entre a maioria de presos, a maioria de assassinados e a maioria de mortos pela Covid-19. O ensaio mostra, de forma enfática, como isso não é uma coincidência, mas parte de uma política de Estado executada todos os dias no país.
  • 422758

    NOVIDADE

    15,01 %

    Martelo Das Feiticeiras, O - Rosa Dos Tempos

    sinopse
    • """O manual que caçou bruxas por quatro séculos. O martelo das feiticeiras, ou Malleus maleficarum, foi o mais célebre manual redigido durante o período de """"caça às bruxas"""" da Idade Média. A inflamada epidemia que perseguiu e condenou mulheres, fosse por seus conhecimentos ou comportamentos que fugissem aos padrões morais e religiosos da época, fosse por pura vingança e misoginia, é uma mancha na história da humanidade. Escrito no século XV, o livro beneficiou-se da invenção da imprensa para sua difusão, tendo diversas reedições pelo continente europeu e, apesar de inúmeras polêmicas e dúvidas quanto à validade de seus ensinamentos, chegou aos séculos XVI e XVII com prestígio entre os perseguidores de hereges. Amplamente utilizado pelos tribunais seculares, o manual pode ser responsabilizado pelas mais de 100 mil execuções, em sua maioria de mulheres, realizadas pela Inquisição durante pelo menos quatro séculos, como apontam historiadores. Como identificar bruxas? Como agem bruxas? Como julgar bruxas? Essas são as questões centrais respondidas neste tratado pelos inquisidores Herinrich Kraemer e James Sprenger, que, entre outras afirmações fantasiosas, atribuem à mulher a prática da bruxaria por meio da cópula com o demônio. As bases do pensamento neurótico das práticas misóginas, do controle dos corpos, do sexo e dos conhecimentos médicos articulados com o poder secular e religioso estão aqui demonstradas de maneira sistemática. O livro tornou-se também modelo para persecuções penais modernas, com seu julgamento inquisitório e suas penas baseadas na expiação da carne. O Malleus maleficarum é um documento de importância histórica, filosófica e jurídica. Esta edição revista do texto estabelecido por Rose Marie Muraro, que vem sendo publicado pela Rosa dos Tempos desde 1991, acompanha a magnífica introdução da própria Muraro. De modo brilhante, a Patrona do Feminismo Brasileiro analisa os alicerces presentes no manual, que permitiram a opressão e a violência institucional, por séculos, ao corpo das mulheres. O livro conta também com prefácio do renomado médico psiquiatra e analista junguiano Carlos Amadeu B. Byington. Conforme Muraro afirma em sua introdução sobre O martelo das feiticerias, espera-se que a partir do conhecimento de um passado trágico hoje essa """"reinserção do feminino na história, resgatando o prazer, a solidariedade, a não competição, a união com a natureza, talvez seja a única chance que a nossa espécie tenha de continuar viva""""."
  • 422577

    PRÉ-VENDA

    15,0 %

    Genero Neoconservadorismo E Democracia - Boitempo

    sinopse
    • Fruto de uma investigação transnacional realizada no decorrer de 2018 e 2019 e de um profícuo diálogo envolvendo as duas autoras e o autor, esta obra analisa as relações entre gênero, religião, direitos e democracia na América Latina. Com o fim da chamada ?onda vermelha? na região, é significativo o aumento da atuação de católicos e evangélicos conservadores na política, com forte reação às políticas de equidade de gênero, direitos LGBTQI e saúde reprodutiva. Flávia Biroli, Maria das Dores Campos Machado e Juan Marco Vaggione destacam o uso, por agentes conservadores, de expressões como ?ideologia de gênero?, ?feminismo radical? e ?marxismo cultural? para justificar normas que promovem exclusões, vetos a perspectivas críticas e o fim de políticas públicas importantes para mulheres e minorias, corroendo, por dentro, a democracia na região. Não bastassem as consequências para mulheres e populações LGBTQI, em muitos países a recusa desses direitos vem acompanhada de políticas que transformam movimentos sociais em inimigos e, por meio de diferentes estratégias, procuram subtrair legitimidade às agendas de justiça social. Num esforço de compreensão dos padrões atuais da reação ao gênero, o livro desenvolve uma moldura teórica em que o conceito de neoconservadorismo tem especial relevância. A disputa entre moralidades, analisada ao longo dos três capítulos que compõem a obra, inclui novos padrões de ação e de mobilização de enquadramentos, que abrem oportunidades para lideranças de extrema direita, colocam em xeque valores democráticos e reforçam tendências autoritárias.
  • 422650

    PRÉ-VENDA

    15,0 %

    Genero E Educacao - Autentica

    sinopse
    • A prática profissional de Cláudia Vianna e Marília Carvalho sempre contemplou a capacidade de despertar e agregar novos pesquisadores e pesquisadoras por meio do trabalho coletivo. Seus alunos e alunas encontraram nas professoras incentivo e apoio para desenvolver seus projetos, participando, a partir de 1999, do Grupo de Estudos de Gênero, Educação e Cultura Sexual (EdGES). Em 20 anos de existência, a experiência do EdGES revela o esforço incansável de Marília e Cláudia ao lado de fecunda interlocução com pesquisadores e pesquisadoras de instituições nacionais e internacionais. Comemorando duas décadas de muitos desafios e lutas, este livro exprime aspectos muito significativos desse percurso. Além de uma celebração que resgata múltiplas trajetórias de pesquisa, os capítulos aqui reunidos oferecem aspectos importantes e extremamente atuais para o estudo das relações de gênero, perscrutando novas possibilidades e novos desafios. Marilia Pontes Sposito
  • 402915

    NOVIDADE

    PRÉ-VENDA

    15,01 %

    De Quem E Esta Historia - Cia Das Letras

    sinopse
    • Uma das ensaístas e feministas mais relevantes da atualidade, Rebecca Solnit examina os principais temas que permeiam o debate contemporâneo ? do assédio sexual à crise climática. Quem escreve as narrativas de nossos tempos? Em cada debate, uma batalha está sendo travada: de um lado, mulheres e pessoas não brancas, não binárias e não heterossexuais finalmente podem contar a história com sua própria voz, de outro, pessoas brancas ? sobretudo do gênero masculino ? se apegam às versões de sempre, que contribuem para manter seu poder e status quo. Em vinte ensaios atualíssimos, a autora de Os homens explicam tudo para mim e A mãe de todas as perguntas avalia essas discussões, por que elas importam e quais são os desafios que temos pela frente. ?Rebecca Solnit é a voz da resistência.? ? The New York Times Magazine ?Em meio à recente turbulência política, a sabedoria e a clareza dos textos de Rebecca Solnit são um bálsamo. De quem é esta história? é uma coletânea extremamente inteligente sobre a luta pelo controle das narrativas na era da internet.? ? The Guardian
  • 402722

    PRÉ-VENDA

    15,01 %

    Tempo Das Paixoes Tristes, O - Vestigio

    sinopse
    • Vivemos um tempo de paixões tristes. Esse momento é explicado pelo aumento das desigualdades, mas sobretudo pela transformação de sua natureza. O sofrimento social não é mais experimentado como uma provação que exige lutas coletivas, mas como uma série de injustiças pessoais, discriminação, experiências de desprezo, questionamento da autoestima. Incapazes de designar adversários com os quais lutar, os indivíduos são levados por um ressentimento que alimenta o populismo de todos os lados. O regime de múltiplas desigualdades gera uma sociedade raivosa. Eis o mundo de hoje. É preciso compreendê-lo para resistir à vertigem da indignação.
  • 402705

    PRÉ-VENDA

    15,01 %

    Racismo Sem Racistas - Perspectiva

    sinopse
    • A brutal e fatal abordagem a George Floyd por quatro policiais nos Estados Unidos em junho, gerando protestos antirracistas por todo o planeta, é terrivelmente simétrica àquela que sofreu uma comerciante negra em São Paulo imobilizada por um policial pisando em seu pescoço um mês depois. A face mais terrível e covarde do racismo mostra-se quando está naturalizada e operacionalizada pelas instituições e representantes do Estado, sem que que pareçam manifestamente racistas. O livro de Bonilla-Silva mostra com clareza as formas e a intensidade do racismo estrutural impregnado na sociedade norte-americana. E na brasileira, por extensão, porque as similitudes são evidentes. Se quisermos desmontar as estruturas da desigualdade, conclui o autor, teremos de desmantelar as estruturas de poder, opressão, dominação e preconceito. Porque são uma e mesma coisa. Ao eleger Obama em 2008, os Estados Unidos da América pensavam ter deixado para trás o racismo institucionalizado que caracterizara sua história. Hoje, sabe-se que o que ficou para trás foi essa ilusão. Racismo Sem Racistas é um livro para quem quer entender como o racismo se perpetua, consciente ou inconscientemente disfarçado em um discurso contestatório do politicamente correto. Mas também, e principalmente, para aqueles, a grande maioria neste país, que ainda acham que a melhor maneira de combater o racismo é fazendo de conta que ele não existe. Eduardo Bonilla-Silva, professor de sociologia na Universidade Duke, demonstra, com base em análises de casos e pesquisas de campo, como o discurso e a noção de que a cor da pele não importa (o ?racismo da cegueira racial?) vêm sendo instrumentais para a permanência do preconceito. Ele desmascara os argumentos, as frases feitas e as narrativas que os brancos nos EUA usam para justificar a desigualdade racial. Esse não é, no entanto, um problema circunscrito a norte-americanos, como sabemos e como a polícia (daqui como de lá) constantemente nos lembra.
  • 402362

    14,99 %

    Razao Africana, A - Todavia

    sinopse
    • O colonialismo não se ocupou apenas de territórios. Também se provou bastante eficaz em povoar as mentes. E, por causa da hegemonia europeia e branca, durante muito tempo soubemos pouco a respeito da produção intelectual nos países africanos. Terminado o período colonialista, demorou ainda muitos anos para passarmos a valorizar ? e a articular ? nomes fundamentais da filosofia e das ciências sociais daquele continente. Temas como nação, autonomia cultural, racismo, identidade e entendimento da questão negra perpassam o melhor pensamento vindo da África nos últimos dois séculos. E nos ajudam, latino-americanos e brasileiros, a ler com mais acuidade a nossa própria posição no Ocidente. É o que propõe este livro pioneiro, escrito com clareza exemplar pelo historiador Muryatan S. Barbosa, uma obra de síntese, abrangente e sofisticada, para ser lida por qualquer pessoa interessada na construção de um sistema intelectual original e inovador. O autor oferece um panorama claro e articulado (no percurso social e na história das ideias) sobre pensadores e conceitos que ajudaram a romper os grilhões da África. E do mundo inteiro
  • 402065

    14,99 %

    Uma Atitude Por Dia Por Um Mundo Com Menos Racismo - Belas Letras

    sinopse
    • A luta antirracista não é só de pessoas negras. Pessoas brancas precisam entender o seu papel. Você também deve se incomodar com o mundo do jeito que está. Reunimos nesta mistura de caderno de anotações, diário e livro 100 atitudes que você pode passar a ter no seu dia a dia para que pelo menos o seu mundo seja um pouco mais justo para os negros. São pequenas mudanças que qualquer um pode incluir na sua rotina com o objetivo de iniciar uma transformação ao seu redor e que ecoarão por aí, motivando outras pessoas a fazer o mesmo. Que tal começar agora? Vamos colocar em prática? Escreva o que é racismo para você. O primeiro passo para tomar consciência sobre o racismo é entender como ele é visto por nós mesmos. Retire do seu vocabulário expressões racistas. Algumas palavras e expressões do nosso vocabulário foram adotadas desde a época da escravidão. Infelizmente, elas permaneceram na nossa comunicação sem passar por uma revisão consciente do seu uso. Incentive pessoas negras na sua empresa. Equipes diversas tornam a empresa mais inovadora e também mais lucrativa. Principalmente nas lideranças. Ajude uma pessoa negra idosa a realizar um sonho. Muitos dos nossos avós foram privados de realizar sonhos para sobreviver e poder criar a família. Para pessoas negras, o peso é maior pela falta de privilégios, de liberdade e pelo histórico de opressão. Será que queriam conhecer algum lugar? Aprender algo novo?
  • 401904

    14,99 %

    Construcao Da Democracia, A - Civilizacao Brasileira

    sinopse
    • """Obras sociógicas de Fernado Henrique Cardoso retornam às livrarias. A construção da democracia: estudos sobre política busca entender o que foi o Brasil posterior à instauração da ditadura civil-militar em 1964. Discute questões fundamentais sobre a natureza do regime, seus pontos fortes, que lhe dão condições de sobrevivência, e seus pontos fracos, por onde se insinuam os problemas. À medida que estes se avolumam, ganham destaque o tema da transição para a democracia e os dilemas da consolidação de uma ordem burocrática. Ao buscar entender situações novas, o autor enriqueceu a sociologia política não apenas com uma discussão nova sobre o desenvolvimento na periferia do sistema capitalista, como também com a formulação de noções originais. Os ?anéis burocráticos?, por exemplo, permitiriam entender, já no início dos anos 1970, como se dava o processo de decisões e como se faziam sentir no interior do Estado os interesses concretos das classes dominantes. A ilusão do dilema socialismo ou fascismo apresentado como inevitável para a América Latina foi também discutida e debatida pelo autor. Os últimos capítulos de A construção da democracia refletem a crescente participação política de FHC, antes de se tornar presidente da República. Sua análise aborda os atores políticos individuais e coletivos, e o estilo torna-se mais leve. Uma grande interrogação continua, porém, instigando sua reflexão e norteando sua ação política: quais as condições indispensáveis para democratizar a sociedade e para institucionalizar democraticamente a vida pública?"""
  • 401875

    15,02 %

    No Contagio - Ayne

    sinopse
    • A epidemia do novo coronavírus candidata-se a ser a emergência de saúde mais importante de nossa época. Ela nos revela a complexidade do mundo em que habitamos, de suas lógicas sociais, políticas, econômicas, interpessoais e psíquicas. O que estamos atravessando requer um esforço de imaginação que, em um regime normal, não estamos acostumados a realizar. No contágio, somos um único organismo, uma comunidade que abarca a totalidade dos seres humanos. No contágio, a falta de solidariedade é antes de tudo um defeito de imaginação. «Não tenho medo de ficar doente. De que, então? De tudo aquilo que o contágio pode mudar. De descobrir que o alicerce da civilização que conheço é um castelo de cartas. Tenho medo da anulação, mas também de seu oposto: que o medo passe sem deixar para trás uma mudança
  • 401584

    14,99 %

    Mundo Pos Pandemia, O - Nova Fronteira

    sinopse
    • Já não há dúvidas: nosso tempo se dividirá entre o antes e o depois da Covid-19. De fato, dificilmente houve acontecimento tão determinante neste século quanto a pandemia, e as consequências das recentes ações políticas, sanitárias e econômicas ainda mal começaram a ser vislumbradas. O que, portanto, devemos esperar para nosso futuro e o futuro das próximas gerações? Uma transformação drástica em tudo o que é humano? Ou apenas o retorno do mundo tal como ele sempre foi? O que se sabe é que uma previsão bem fundamentada não pode passar ao largo deste livro. Afinal, nomes de peso aqui se reúnem para opinar sobre as principais esferas da atuação humana, levando em consideração cada uma de suas complexidades e dilemas. Transitando da arte e do humor ao poder judiciário e à economia, estas páginas constituem o que há de mais qualificado a respeito do mundo que nos espera. São 50 textos de diversos temas. Cada um, é assinado por um bambambã da sua área. Vai de Boni, na TV, Fernando Henrique Cardoso, em gestão pública, Fernanda Torres sobre as artes, Merval Pereira, sobre política, Marcelo Adnet , sobre humor, e outros tantos...
  • 401464

    14,99 %

    Regras Do Contagio, As - Record

    sinopse
    • As regras do contágio oferece reflexões importantes sobre o comportamento humano e mostram como podemos nos sair melhor ao prever o que está por vir. Em um mundo cada vez mais interconectado, nossa vida é modelada por surtos ? de doenças, de desinformação e mesmo de violência ? que surgem, se disseminam e desaparecem em desconcertante velocidade. Para entendê-los, é preciso compreender as leis ocultas que os governam, mas as explicações populares continuam a ser desmentidas pelas descobertas científicas, e pesquisas revelam os mistérios do contágio, mostrando-nos como evitar explicações simplistas e soluções ineficazes. Em 2020, a pandemia de coronavírus trouxe ao mundo uma das experiências mais desafiadoras dos últimos anos, razão pela qual este As regras do contágio se torna ainda mais importante. Neste livro, Adam Kucharski investiga as múltiplas manifestações de contágio: por exemplo, o que há em comum na dinâmica das epidemias que aterrorizaram o mundo nos últimos tempos, incluindo a de Covid-19, como as inovações se disseminam através das redes sociais, as semelhanças entre os vírus de computador e as histórias populares, e por que as profecias mais úteis não são necessariamente aquelas que se provam verdadeiras. Dos agentes ?superdisseminadores? que podem gerar uma pandemia ou derrubar um sistema financeiro às dinâmicas sociais que fazem a solidão virar norma, As regras do contágio oferecem reflexões importantes sobre o comportamento humano e mostram como podemos nos sair melhor ao prever o que está por vir.
  • 400924

    14,99 %

    Empresario Industrial E Desenvolvimento Economico No Brasil - Civilizacao Brasileira

    sinopse
    • Publicado originalmente em 1964, Empresário industrial e desenvolvimento econômico no Brasil trata da formação do ?espírito empresarial? e de sua contribuição para o desenvolvimento econômico do país. Buscando entender o desenvolvimento econômico e as condições que se poderia encontrar no país, Empresário industrial e desenvolvimento econômico no Brasil considera a formação da sociedade industrial ?de massas? e a formação do ?epirito empresarial? para a formação do pais. Na primeira parte do livro, o autor avalia a visão de alguns teóricos sobre a sociedade capitalista industrial. Distingue o papel dos empreendedores na época da formação do capitalismo de seu papel na época das grandes ?sociedades anônimas?, bem como mostra que os empresários das sociedades subdesenvolvidas se distinguem, em mentalidade e em ação, dos que operaram no período inicial da formação do capitalismo e dos que se inserem no capitalismo desenvolvido. O livro mostra também que os chamados ?produtores tradicionais? atuam diferentemente dos inovadores. O crescimento econômico não é visto como consequência automática da ?acumulação?, uma vez que decorre da ação de sujeitos históricos, os empreendedores. Na segunda e última parte de Empresário industrial e desenvolvimento econômico no Brasil, apresenta-se uma visão mais complexa da sociedade brasileira, evitando oposições binárias. Ressalta o papel das classes médias e populares no ?impulso? para o desenvolvimento, que poderia vir ?de fora? do setor econômico: da intelectualidade e dos segmentos militares, que em certos momentos históricos impulsionaram o crescimento do país. O prefácio é de Florestan Fernandes.
  • 400911

    15,01 %

    Nosso Lugar - Cia Das Letras

    sinopse
    • O relato de uma trajetória excepcional e um manifesto por uma sociedade mais justa.

      Em Nosso lugar, Tabata Amaral narra a sua trajetória até a campanha que a elegeu deputada federal como a segunda mulher mais votada no país. Como ela mesma diz: ?Eu poderia ter muito orgulho de ser a primeira da minha comunidade a conquistar aquele lugar, mas não poderia me aquietar enquanto fosse a única?.
      Tabata cresceu na Vila Missionária, no extremo sul de São Paulo, e viveu na infância as dificuldades enfrentadas por tantas famílias de migrantes nordestinos instaladas precariamente nas periferias das grandes cidades. Depois de alcançar medalha de prata em uma olimpíada de matemática, percorreu um caminho extraordinário que desembocou na Universidade Harvard, onde se formou com uma tese sobre os fatores políticos que impactam a educação pública em diferentes municípios brasileiros.
      Nesta obra, a deputada entrelaça suas experiências pessoais e profissionais ? enquanto narra as dificuldades de ser uma mulher jovem no ambiente político ? e conta como lida com fake news e ataques coordenados. Se seguirmos no ritmo atual, levaremos cerca de cem anos para alcançar mundialmente a igualdade de gênero na representação política. Acelerar essa transformação é o objetivo deste livro, e um imperativo para todas as pessoas que desejam uma sociedade mais justa.

      ?Tabata Amaral é um tesouro nacional. Encontrei milhares de estudantes talentosos nos meus vinte anos como professor em Harvard, mas ela é a mais talentosa de todos. Hoje o Brasil está sofrendo. Mas Tabata e sua geração trazem esperança.? ? Steven Levitsky, autor de Como as democracias morrem

      ?Tabata Amaral impressiona não só por sua inspiradora história de vida, mas por entender que chegar aonde ela chegou não é questão de mero esforço pessoal, e sim de boas políticas públicas. E ela lutou para participar de seu desenho.? ? Claudia Costin, diretora do Centro de Excelência em Políticas Educacionais da FGV

  • 400671

    15,0 %

    Que Fazer, O - Boitempo

    sinopse
    • Quarto volume da coleção Arsenal Lênin, O que fazer? é a obra seminal da teoria política de partido do dirigente revolucionário russo. Publicado como brochura em 1902, o livro apresenta as linhas gerais do que seria chamado mais tarde de ?partido leninista?, indicando as tarefas de organização necessárias ao desenvolvimento da revolução, bem como avaliando os equívocos das diferentes linhas de pensamento no interior do que até então era o campo da social-democracia. Publicada no ano em que Lênin completa um século e meio de nascimento, a obra é um esforço prático de resposta aos principais problemas da social-democracia na época, sobretudo a relação entre a espontaneidade das massas e a vanguarda do partido, além da importância da teoria política para o movimento revolucionário, sintetizada em sua célebre frase: ?Sem teoria revolucionária, não pode haver movimento revolucionário?. A relevância de O que fazer? viria a ser comprovada com a constituição da ala bolchevique, responsável por levar a cabo a primeira revolução socialista do século, em 1917.
  • 400251

    15,01 %

    Capitalismo Sem Rivais - Todavia

    sinopse
    • Qual desenho se pode traçar da globalização que temos hoje? Como ela se formou? Quais são as suas características? O que a distingue de períodos anteriores de expansão econômica vocacionados à internacionalização? E os cenários para o futuro? O que fazer para ao menos mitigar as visíveis desigualdades espalhadas por todos os continentes? Ao demonstrar, baseado em farta documentação e análise de dados, que o capitalismo acabou por se tornar o único sistema econômico vigente no planeta após séculos de convivência ou rivalidade com outros modos de produção ? com destaque para o feudalismo e o socialismo ?, Branko Milanovic não só responde a essas e outras tantas perguntas, como também oferece uma visão absolutamente original sobre a evolução das sociedades comunistas no Leste Europeu e em outras partes do mundo, com destaque para a China ? gigante mundial que constitui hoje, na análise do autor, o exemplo maior do que ele chama de capitalismo político, em contraposição ao capitalismo meritocrático liberal representado, em especial, pelos Estados Unidos. Para Milanovic, se a classe burguesa ascendente operou desde o fim da Idade Média a passagem do feudalismo para o capitalismo nos países mais avançados da Europa (e sua expansão posterior para outros continentes), foi o comunismo que, em várias partes do chamado Terceiro Mundo, acabou por desempenhar esse papel histórico transitório, para depois se extinguir como modo de produção. Com erudição e didatismo, Milanovic mostra as diferenças entre os dois capitalismos predominantes, as formas como se relacionam entre si, de que maneiras se constituem suas desigualdades internas e como eles se manifestam, com características próprias, em todas as regiões do globo. Ao esmiuçar a formação e a reprodução intergeracional das mazelas econômicas e políticas do capitalismo ? em suas duas vertentes principais ?, bem como os riscos que lhe são inerentes, o economista aponta medidas capazes de reduzi-las, explorando e potencializando, assim, os inegáveis e consistentes traços positivos deste que se tornou indefectivelmente o único sistema econômico existente em nosso planeta.
  • 399980

    15,0 %

    Primavera Das Mulheres - Cultrix

    sinopse
    • Inspirada pelos novos movimentos que, desde 2011, vem se formando em relação ao feminismo, a especialista em transversalização jurídica da perspectiva de gênero, Pilar Pardo Rubio, escreveu esta obra para responder a diversas perguntas sobre o tema. Divididas em eixos temáticos, a obra traz questões fundamentais para entender as origens, pautas, lutas e ondas de feminismo de cada época, além de todos os processos políticos que envolvem as reivindicações das mulheres nos dias de hoje. Por meio de uma linguagem clara, direta e jornalística, a autora pretende mostrar como é importante entender as indagações ligadas ao movimento feminista em termos mundiais para, dessa forma, fazer com que as mulheres tenham mais acesso a informações preciosas na luta pelos seus direitos.
  • 399520

    15,02 %

    Avante Mulheres - Edipro

    sinopse
    • Avante, mulheres! reúne os principais textos da pioneira do feminismo, Olympe de Gouges. Dramaturga e ativista política à época da Revolução Francesa, a autora apresenta nestas linhas as bases da defesa dos direitos das mulheres, da abolição da escravatura dos negros, da liberdade de expressão, entre outras pautas extremamente atuais. Esta edição, com prefácio da professora doutora Gláucia Fraccaro, inclui também a icônica obra Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã, uma carta aberta à rainha Maria Antonieta em defesa de princípios fundamentais aos quais todas as mulheres teriam direito ? princípios esses negligenciados pela Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Os escritos aqui apresentados demonstram a genialidade e a coragem de uma das mais brilhantes intelectuais do século XVIII. Uma obra de inspirações múltiplas para os interessados no feminismo, na Revolução Francesa e nas grandes lutas por liberdade e garantia de direitos.
  • 399379

    15,01 %

    Historia Da Sexualidade - Vol 1 - Paz E Terra

    sinopse
    • A monumental história da sexualidade com novo projeto gráficoAo longo dos anos 1970, Michel Foucault dedicou seu trabalho no Collège de France à análise do lugar da sexualidade na sociedade ocidental, o que deu origem à História da sexualidade, em quatro volumes. Sua reflexão encontrou no sexo e na sexualidade a causa de todos os acontecimentos da vida social. O filósofo empreendeu uma pesquisa histórica, estabelecendo uma antropologia e uma análise dos discursos acerca desse tema tão fundamental para a condição humana.O primeiro volume, A vontade de saber, mostra que a sexualidade não foi reprimida com o capitalismo, depois de ter vivido em liberdade. Sua hipótese é de que, desde o século XVI ? processo que se intensifica a partir do século XIX ?, o sexo foi incitado a se manifestar por uma vontade de saber sobre a sexualidade, que é peça das estratégias de controle dos indivíduos e das populações características das sociedades modernas.

Produtos encontrados: 172 Resultado da Pesquisa por: em 10 ms

Itens por página:

Produtos selecionados para comparar: 0Comparar