Produtos encontrados: 240 Resultado da Pesquisa por: em 8 ms

Itens por página:

Produtos selecionados para comparar: 0Comparar

  • 429400

    24,99 %

    Humanidade

    sinopse
    • Se existe uma crença que une a esquerda e a direita, psicólogos e filósofos, pensadores antigos e modernos, é a suposição de que os seres humanos são maus ? e ponto final. É uma noção que pode ser vista diariamente nas manchetes dos jornais. De Maquiavel a Hobbes, de Freud a Pinker, essa crença moldou o pensamento ocidental. O ser humano é egoísta por natureza e age, na maioria das vezes, pensando no interesse próprio. Mas... e se isso não for verdade? O best-seller internacional de Rutger Bregman oferece uma nova perspectiva sobre a história da humanidade com o objetivo de provar que estamos ?programados? para a bondade, voltados para a cooperação em vez da competição e mais inclinados a confiar em vez de desconfiar uns dos outros. Na verdade, esse instinto tem uma base evolutiva que remonta ao início da história do Homo sapiens. Éramos assim até descobrirmos a agricultura, a propriedade e a competição. Esse é o conceito defendido pelo filósofo Jean Jacques Rousseau, um dos pais do iluminismo. Segundo o francês, o homem nasce livre ? é a civilização que lhe coloca correntes... A partir de inúmeras e importantes pesquisas, de uma argumentação revolucionária e convincente e exemplos reais, Bregman nos mostra que acreditar na humanidade, na generosidade e na colaboração entre as pessoas não é uma atitude otimista ? é uma postura realista! E tal comportamento tem enormes implicações para a sociedade. Quando pensamos no pior das pessoas, isso traz à tona o que há de pior na política e na economia. Mas, se acreditarmos na bondade e no altruísmo da humanidade, isso formará a base para alcançarmos uma verdadeira mudança na sociedade.
  • 424451

    24,99 %

    Se Quiser Mudar O Mundo

    sinopse
    • Se quiser mudar o mundo, a hora é agora! Este é um livro para quem quer mudar o mundo. Para quem sente que está tudo de pernas para o ar. Para quem se cansou de só ouvir notícias ruins e quer soluções para os desafios que atravessam a sociedade. Mas, antes, é preciso saber algumas coisas importantes. Por isso, este também é um guia didático e introdutório dos principais conceitos de política, sem abrir mão de sua complexidade. Aqui, não há passo a passo nem receita de bolo. Muito pelo contrário: há muitas perguntas. Sobretudo, esta obra é radical. Ela propõe transformar o mundo, mas não de qualquer jeito. Nela, há uma caixinha de ferramentas para que seja possível provocar mudanças profundas. Este livro, portanto, também é um chamado. Um convite para se pensar alternativas, encarar dificuldades políticas e instigar os que sonham com um futuro melhor para si e para os outros. Pois, afinal de contas, como a autora Sabrina Fernandes nos lembra, a situação está complicada e, mais do que nunca, o mundo está precisando de gente que se importa.
  • 389545

    25,02 %

    Pequeno Manual Antirracista - Cia Das Letras

    sinopse
    • Onze lições breves para entender as origens do racismo e como combatê-lo. Neste pequeno manual, a filósofa e ativista Djamila Ribeiro trata de temas como atualidade do racismo, negritude, branquitude, violência racial, cultura, desejos e afetos. Em onze capítulos curtos e contundentes, a autora apresenta caminhos de reflexão para aqueles que queiram aprofundar sua percepção sobre discriminações racistas estruturais e assumir a responsabilidade pela transformação do estado das coisas. Já há muitos anos se solidifica a percepção de que o racismo está arraigado em nossa sociedade, criando desigualdades e abismos sociais: trata-se de um sistema de opressão que nega direitos, e não um simples ato de vontade de um sujeito. Reconhecer as raízes e o impacto do racismo pode ser paralisante. Afinal, como enfrentar um monstro desse tamanho? Djamila Ribeiro argumenta que a prática antirracista é urgente e se dá nas atitudes mais cotidianas. E mais ainda: é uma luta de todas e todos.
  • 26956

    25,0 %

    Vigiar E Punir - Vozes

    sinopse
    • ?Vigiar e Punir - Nascimento Das Prisões? é um livro do filósofo francês Michel Foucault que documenta um estudo científico sobre a evolução histórica da legislação penal e os métodos coercitivos e punitivos - desde a violência física até instituições correcionais - adotados pelo poder público na repressão da delinquência. O livro é dividido em quatro partes ("Suplício", "Punição", "Disciplina" e "Prisão") onde o autor apresenta, por exemplo, a mudança ao longo dos anos nas técnicas ?corretivas?, o conceito de ?delinquente? e argumentos contrários à ideia de que o sistema prisional é uma forma humanista de punição. Indispensável para entender a sociedades contemporânea O livro ?Vigiar e Punir - Nascimento Das Prisões? é considerado uma obra que alterou o modo de pensar e fazer política social no mundo ocidental ao analisar as formas de vigilância e punição utilizada em diversas entidades estatais. Apesar de Foucault tenha se baseado na cultura francesa, ?Vigiar e Punir - Nascimento Das Prisões? é relevante para a compreensão da evolução da sociedade contemporânea como um todo.
  • 432901

    PRÉ-VENDA

    O Preco Do Panico

    sinopse
    • ?O custo humano à resposta emergencial à Covid-19 superou em muito o seu benefício?. Este é o veredito final do trio de estudiosos ? um biólogo, um estatístico e um filósofo ? quanto a uma avaliação aprofundada acerca de um dos piores desastres induzido pelo pânico na história. Enquanto a mídia alimentava as chamas do pânico, autoridades governamentais e uma nova elite científica de especialistas ignoravam os protocolos estabelecidos para a mitigação de uma perigosa doença. Eles pararam a economia mundial, fecharam todas as escolas, confinaram os cidadãos às suas casas e ameaçaram com a imposição indefinida de um regime de distanciamento social extremo. E o povo ? surpreendentemente ? aceitou sem protestar. Modestamente, ainda que implacavelmente focados em o que se sabe ou não sobre o coronavírus, Douglas Axe, William M. Briggs e Jay W. Richards demonstram neste estudo assombroso de que maneira especialistas de verdade podem contribuir quando uma pandemia surge. No início da primavera de 2020, no Hemisfério Norte, o pânico das autoridades governamentais, a histeria da mídia e a arrogância de cientistas que obtiveram poder abruptamente, produziram uma calamidade de ordem mundial. O Preço do Pânico é, portanto, o livro essencial para entender o que aconteceu e como impedir que esses erros mortais se repitam novamente.
  • 431885

    25,02 %

    Questao De Raca

    sinopse
    • Nova edição do clássico de Cornel West, Questão de raça se reafirma como uma das mais influentes e originais obras sobre o debate racial nos Estados Unidos. Publicada no Brasil pela primeira vez em 1994, esta coletânea de ensaios logo se tornou um clássico. Nela, o sociólogo norte-americano Cornel West, referência nos estudos de raça nos Estados Unidos, reflete sobre temas como a crise de liderança na comunidade negra, os mitos sobre a sexualidade dos negros e o legado de Malcolm X. Passados mais de vinte anos, as ideias de West continuam relevantes e provocadoras, e são um chamado à luta por todo o mundo. Com um novo prefácio e uma nova introdução, que destacam, entre outros pontos, a importância dos movimentos que têm tomado as ruas nos últimos anos, Questão de raça encontra esperança na resistência coletiva e nos convida a construir uma democracia multirracial para este milênio.
  • 430534

    25,01 %

    Microfisica Do Poder - Paz E Terra

    sinopse
    • Composta por textos escritos na década de 1970, Microfísica do poder foi elaborado por Foucault na perspectiva de construir resistências específicas aos variados dispositivos do poder. Microfísica do poder é uma coletânea de artigos, cursos, entrevistas e debates, em que Foucault analisa questões relacionadas à medicina, à psiquiatria, à geografia, à economia, mas também ao hospital, à prisão, à justiça, ao Estado, ao papel do intelectual, à sexualidade etc. Esses textos têm como tema central o poder nas sociedades modernas: sua configuração, sua difusão no corpo social, seu exercício em instituições, sua relação com a produção da verdade, as resistências que suscita. Além disso, eles explicam o método genealógico elaborado por Foucault para analisar como e por que os saberes se constituem a partir de práticas políticas e econômicas.Há três novidades principais nos textos desta coletânea: primeiro, rejeitar a identificação entre poder e aparelho de Estado, dando importância à rede de poderes moleculares que se expande por toda a sociedade; segundo, caracterizar o poder não apenas como repressivo, mas também como disciplinar, normalizador; terceiro, analisar o saber como peça de um dispositivo político que o produz e é intensificado por ele.Ao escrever esses textos, acreditando na eficácia das resistências específicas aos variados dispositivos do poder, Foucault desejou se insurgir contra a dominação burguesa que os próprios saberes sobre o homem ajudaram a criar e aperfeiçoar. Não será essa uma das razões do sucesso deste livro?Um compilado de analises gerais do grande filósofo Michel Foucault, Microfísica do poder reúne a partir de diversas peças cientificas análises e contextos essenciais para entender as dinâmicas de poder na sociedade e todas as suas nuances.?Onde há poder, ele se exerce. Ninguém é, propriamente falando, seu titular; e, no entanto, ele sempre se exerce em determinada direção, com uns de um lado e outros do outro; não se sabe ao certo quem o detém; mas se sabe quem não o possui.? - Michel Foucault
  • 382650

    25,01 %

    Factfulness - O Habito Libertador De So Ter Opinioes Baseadas Em Fatos - Record

    sinopse
    • Com texto leve, esta obra ricamente ilustrada por gráficos e tabelas de fácil compreensão é acessível a todos ? desde o leigo até o especialista em economia ou estatística. Que porcentagem da população mundial vive na pobreza? Qual é o número de crianças vacinadas no mundo hoje? Quantas meninas terminam a escola? Quando confrontadas com perguntas simples a respeito das tendências globais, as pessoas sistematicamente dão respostas incorretas. Isso acontece quando nos preocupamos com tudo o tempo todo em vez de compreendermos as coisas como realmente são, e perdemos a capacidade de nos concentrar nas verdadeiras ameaças. Tomando emprestado o conceito de mindfulness (o ato de ter atenção plena nas experiências, atividades e sensações do presente), os autores propõem a ideia de factfulness: o hábito libertador de só ter opiniões baseadas em fatos. Inspirador, bem-humorado e cheio de histórias emocionantes, Factfulness é um livro urgente e essencial que mudará a maneira como você vê o mundo e o capacitará a responder melhor às crises e oportunidades do futuro.
  • 372908

    25,01 %

    Elite Do Atraso, A - Estacao Brasil

    sinopse
    • BEST-SELLER COM MAIS DE 70 MIL EXEMPLARES VENDIDOS, AGORA EM EDIC¸A~O REVISTA E ATUALIZADA, ESTE LIVRO E´ UM NOVO CLA´SSICO DO PENSAMENTO BRASILEIRO. A ELITE DO ATRASO APRESENTA UMA INTERPRETAC¸A~O ABRANGENTE, INOVADORA E OUSADA DA SOCIEDADE BRASILEIRA QUE A CADA DIA GANHA NOVOS ADEPTOS. Quem e´ a elite do atraso? Como pensa e age essa parcela da populac¸a~o que controla grande parte da riqueza do Brasil? Onde esta´ a verdadeira e monumental corrupc¸a~o, tanto ilegal quanto ?legalizada?, que esfola tanto a classe me´dia quanto as classes populares? A elite do atraso se tornou um cla´ssico contempora^neo da sociologia brasileira, um livro fundamental de Jesse´ Souza, o socio´logo que ousou colocar na berlinda as obras que eram consideradas essenciais para se entender o Brasil. Por meio de uma linguagem fluente, iro^nica e ousada, Jesse´ apresenta uma nova visa~o sobre as causas da desigualdade que marca nosso pai´s e reescreve a histo´ria da nossa sociedade. Mas na~o a do patrimonialismo, nossa suposta heranc¸a de corrupc¸a~o trazida pelos portugueses, tese utilizada tanto a` esquerda quanto a` direita para explicar o Brasil. Muito menos a do brasileiro cordial, ambi´guo e sentimental. No a^mago da interpretac¸a~o de Jesse´ na~o esta´ a corrupc¸a~o poli´tica. Para ele, a questa~o a partir da qual se deve explicar a histo´ria passada e atual do Brasil ? e de suas classes, portanto ? na~o e´ outra sena~o a escravida~o. Sob uma perspectiva ine´dita, ele revela fatos cruciais sobre a vida nacional, demonstrando como funcionam as estruturas ocultas que movem as engrenagens do poder e de que maneira a elite do dinheiro exerce sua forc¸a invisi´vel e manipula a sociedade ? com o respaldo das narrativas da mi´dia, do judicia´rio e de seu combate seletivo a` corrupc¸a~o.
  • 433271

    PRÉ-VENDA

    Complexo De Vira Lata - Com Brinde

    sinopse
  • 433120

    PRÉ-VENDA

    Afropessimismo

    sinopse
    • Por que a questa?o da rac?a permeia grande parte do nosso universo moral e poli?tico? Por que um ciclo perpe?tuo de escravida?o ? em todas as suas formas: poli?tica, intelectual e cultural ? continua a definir a experie?ncia da negritude? E por que a viole?ncia contra os negros e? um trac?o predominante em todo o mundo? Essas sa?o apenas algumas das questo?es que este livro levanta, Wilderson apresenta, nesta obra, as bases de um movimento intelectual ? o afropessimismo ? que ve? a negritude pelo prisma da escravida?o perpe?tua, A partir de cla?ssicos da literatura, do cinema, da filosofia e da teoria cri?tica, ele mostra que a construc?a?o social da escravida?o, vista pelas lentes da subjugac?a?o dos negros, na?o e? uma reli?quia do passado, mas um mecanismo que alimenta nossa civilizac?a?o, Sem a dina?mica senhor-negro escravizado, sustenta o autor, um dos pilares da civilizac?a?o mundial iria a colapso, Mais do que qualquer outro grupo, os negros sera?o sempre vistos como escravos em relac?a?o a? humanidade, Afropessimismo fala ainda da infa?ncia do autor em Minneapolis e do racismo que ele sofre ? seja na Califo?rnia dos anos 1960 ou durante o apartheid na A?frica do Sul, onde ele se junta a?s fileiras do Congresso Nacional Africano, Este livro na?o apresenta soluc?a?o para o o?dio que esta? por toda parte, mas Wilderson acredita que reconhecer essas condic?o?es histo?ricas e? um gesto de autonomia em face de um mundo social essencialmente racializado,
  • 433094

    PRÉ-VENDA

    Modernidade Liquida - Nova Edicao

    sinopse
    • No livro clássico de sua obra ? agora em novo projeto gráfico ?, o sociólogo Zygmunt Bauman examina como se deu a passagem de uma modernidade ?pesada? e ?sólida? para uma modernidade ?leve? e ?líquida?, infinitamente mais dinâmica. Zygmunt Bauman cumpre aqui sua missão de sociólogo, esclarecendo como se deu a transição da modernidade e nos auxiliando a repensar os conceitos e esquemas cognitivos usados para descrever a experiência individual humana e sua história conjunta. É a essa tarefa que se dedica este livro. Analisando cinco conceitos básicos que organizam a vida em sociedade ? emancipação, individualidade, tempo/espaço, trabalho e comunidade ?, Bauman traça suas sucessivas formas e mudanças de significado. Modernidade líquida complementa e conclui a análise realizada pelo autor em Globalização: As consequências humanas e Em busca da política. Juntos, esses três volumes formam uma análise brilhante das condições cambiantes da vida social e política.
  • 433048

    PRÉ-VENDA

    Uma Historia Feita Por Maos Negras

    sinopse
    • Historiadora, professora, poeta e ativista, Beatriz Nascimento deixou um legado intelectual múltiplo e profundo. Esta coletânea oferece um panorama amplo de seu pensamento, reunindo alguns de seus principais artigos, ensaios e resenhas, escritos entre os anos de 1974-94. Pensadora insurgente à frente de seu tempo, Beatriz Nascimento dedicou-se a resgatar a história do negro no Brasil ? algo ainda a ser construído, ela defendia. Uma história negra, feita por pessoas negras, com o intuito de romper com quatro séculos de invisibilização numa sociedade da qual elas participaram em todos os níveis. Com organização primorosa do antropólogo Alex Ratts, os 24 textos aqui selecionados reafirmam os aspectos centrais de sua obra ? as relações raciais e de gênero, as formulações sobre a contribuição do negro na construção da sociedade brasileira, a recusa do discurso que reduz a problemática racial a uma questão econômica e social, sem uma compreensão existencial do indivíduo, e, sobretudo, as pesquisas sobre os quilombos no Brasil, suas relações com a África e como se reconfiguraram para ser não apenas espaço de resistência, mas um sistema social alternativo. Completam ainda este conjunto escritos da autora marcados pelas transformações políticas e sociais a partir da década de 1980 ? como o fim dos governos militares e a vigência da nova Constituição ? e por inflexões pessoais e memórias ? como em ?Carta de Catarina?, texto de maturidade e síntese no qual ela discorre sobre o movimento negro, a diáspora e suas poéticas, além do processo de feitura do filme Orí, obra fundamental para conhecer, ver e ouvir a potência dessa mulher transatlântica. ?Com Beatriz Nascimento, temos um modo de ver e conhecer outra face do Brasil.? ? Sueli Carneiro ?A essa mulher devemos o renascimento do movimento negro no Rio de Janeiro nos anos 1970. Por favor, não se esqueçam disso!? ? Lélia Gonzalez
  • 433030

    PRÉ-VENDA

    Tempos Liquidos - Nova Edicao

    sinopse
    • Em Tempos líquidos, Zygmunt Bauman faz uma reflexão profunda sobre a insegurança, sobretudo nas grandes cidades. A insegurança é a marca fundamental dos tempos líquido-modernos. Terrorismo, crime organizado, desemprego e solidão: todos esses são fenômenos típicos de uma era na qual a exclusão e a desintegração da solidariedade expõem o homem aos seus temores mais graves. Segundo Bauman, o desmonte dos mecanismos de proteção aos menos favorecidos, somado aos efeitos incontroláveis gerados pela globalização, propiciou um ambiente inseguro por definição. Assim, as metrópoles se tornam o local por excelência das ansiedades. ?Construídas para fornecer proteção a todos os seus habitantes, as cidades hoje em dia se associam com mais frequência ao perigo que à segurança?, afirma Bauman. Não à toa, para ele, é no medo que se baseia a legitimidade da política contemporânea, incapaz de alcançar a origem global dos problemas ? o que acaba por alimentar, ainda mais, as angústias da vida na modernidade líquida.
  • 432734

    PRÉ-VENDA

    A Origem De Quase Todas As Coisas

    sinopse
    • Como chegamos aqui? De onde viemos e para onde vamos? Se você já se fez ou se faz essas perguntas com frequência, este livro é para você. Em A Origem de (Quase) Todas as Coisas, Graham Lawton, brinda-nos com uma obra tão divertida que mais se parece com uma revista e não um livro típico de ciências. Ao desvendar dezenas dos maiores mistérios da vida com seu modo irreverente de contar histórias, Lawton responde a perguntas incômodas que inspiraram séculos de investigação científica. Com ilustrações de Jennifer Daniel e introdução do grande Stephen Hawking, o livro é de leitura extremamente agradável, todo colorido e repleto de infográficos. Seus blocos de texto e imagens ajudam a entender conceitos complicados do mundo científico.
  • 432066

    PRÉ-VENDA

    Marx

    sinopse
    • Como eu acabei trabalhando numa empresa como esta...?! Ahn Yi-young, uma tenra flor de 23 anos, desafiando o mundo dos negócios com uma start-up montada com amigas da faculdade, vai à empresa SJ para tentar ganhar um contrato. No momento em que se prepar
  • 432032

    25,0 %

    Populismo E Negacionismo

    sinopse
    • Os populistas têm conquistado um espaço de destaque no debate público e cada vez mais ocupado posições centrais de poder. Ao mesmo tempo, o negacionismo surgiu na forma de teorias da conspiração, fake news e da rejeição de fatos que basicamente haviam se estabelecido como parte do senso comum. Em um período em que a segurança em relação a vacinas, ao aquecimento global e até mesmo à esfericidade da terra são questionados, nenhum estudioso havia estabelecido uma relação direta entre esses dois fenômenos, até agora! Este livro não só esclarece as causas e consequências do populismo e negacionismo, mas também faz sugestões sobre como podemos combatê-los nos níveis individual e coletivo. O principal objetivo dos populistas é a perpetuação no poder, e, a fim de atingir seus objetivos, eles encontraram, no negacionismo, uma poderosa ferramenta para isso. ?Temos nas mãos não um ensaio acadêmico frio e distante da realidade, mas uma peça rara de pesquisa universitária de primeira qualidade combinada com jornalismo reflexivo de alto nível.? (Embaixador Rubens Ricupero).
  • 431640

    24,99 %

    Guerra Cultural

    sinopse
    • Transformação da esquerda ao longo dos últimos 150 anos ? do socialismo científico à atual esquerda pós-moderna - é um dos fenômenos mais intrigantes da política contemporânea. Como pode a esquerda, que antes fundamentava suas pautas na razão e na ciência, ter aderido à ideia relativista de que a verdade não existe? Por que abandonou agendas materialistas (como a socialização dos meios de produção) para, agora, dedicar-se à manipulação da linguagem e ao politicamente correto? Por que a esquerda, que se pensava universalista em sua defesa da classe trabalhadora, agora promove a divisão das pessoas em infinitos grupos minoritários, com as políticas identitárias baseadas em raça, gênero, sexualidade? Neste livro, Stephen Hicks detalha todo o percurso que culminou na estratégia pós-moderna da esquerda na atualidade. O pós-modernismo é definido por uma atitude de ceticismo, ironia ou rejeição aos estudos consagrados de toda a trajetória humana. Frequentemente propõe a flexibilização de conceitos ou tentam ressignificar ideias, a fim de estabelecer suas narrativas, quase sempre, impossíveis de serem verificadas, afinal, sua proposta é manter-se no ambiente das incertezas. E essa é sua principal arma política. Stephen Hicks explica como o pós-modernismo, que serviu de fundação para o surgimento da nova esquerda, possa, de uma só vez, subjugar seus adversários e manter sua fé num projeto coletivista que a história já demonstrou inviável. Nossa cultura se encontra atualmente envolvida em uma guerra de ideias, e essas ideias precisam ser compreendidas. JORDAN PETERSON
  • 431320

    PRÉ-VENDA

    Liberdade Ou Lockdown

    sinopse
    • Jeffrey Tucker é bem conhecido como o autor de muitos artigos e livros informativos e amados sobre o assunto da liberdade humana. Agora, ele volta sua atenção à mais chocante e disseminada violação da liberdade humana de nossos tempos: o lockdown autoritário de uma sociedade sob o pretexto de ser necessário para enfrentar um novo vírus. Aprendendo com os especialistas, Jeffrey Tucker pesquisou esse assunto de cada ângulo. Nesse livro, Tucker explica a história, a política, a economia e a ciência relevantes à resposta ao coronavirus. O resultado é claro: não há justificativa para os lockdowns. É liberdade ou lockdown. Nós temos que escolher. .
  • 431311

    PRÉ-VENDA

    Leis Absurdas

    sinopse
    • Apesar de muitas vezes serem criadas com a melhor das intenções, algumas leis acabam por criar um incentivo que vão na direção contrária dos objetivos iniciais. Uma lei que busca fomentar o turismo pode acabar gerando menos turistas naquele local, uma lei que busca ajudar ex-obesos pode acabar incentivando-os a comer ainda mais, medidas que buscam a gratuidade de estacionamentos podem gerar escassez desse mesmo serviço. Num país onde há mais de 180 mil leis vigentes, é natural que várias delas sejam completamente absurdas. Este livro mostra , justamente, exemplos reais de leis que mais atrapalham do que ajudam.
  • 431269

    PRÉ-VENDA

    Esquerda Caviar

    sinopse
    • "Este livro de Rodrigo Constantino é urgente. Uma pérola em meio ao mar de obviedades e mentiras comuns na literatura ""intelectual"" nacional. O título Esquerda caviar remete a uma expressão de nossos irmãos mais velhos portugueses para descrever a ""esquerda festiva"" (como dizia o grande Nelson Rodrigues, citado algumas vezes por Constantino), marca de um grande desvio de caráter no mundo contemporâneo: este tipo de gente que frequenta jantares inteligentes defendendo a África enquanto bebe vinho caro e humilha amigas menos magras. Nelson Rodrigues usava a expressão ""amante espiritual de Che Guevara"" para nomear a esposa de um casal burguês com ""afetações revolucionárias"", o típico ""casal caviar"". Em meio às festas da ""festiva"", o casal de grã-finos, donos da casa, levava Nelson até o pequeno altar onde uma foto de Che posava para os suspiros da esposa apaixonada pelo revolucionário. Poderíamos supor que este marido falaria algo semelhante ao que outros ""maridos caviar"" ante as possíveis infidelidades das esposas com outro ""guru caviar"", Chico Buarque: ""Com o Che e o Chico, eu deixo ela me trair."" Risadas? De onde vem este fenômeno? Constantino lança mão de um rico arsenal de citações clássicas e contemporâneas para fazer seu diagnóstico: antes de tudo, estamos diante do velho problema de caráter. Nada de questões políticas. Apenas questões morais de fundo: mentira, hipocrisia, luta por autoestima social, narcisismo, oportunismo carreirista, tentativa de se ver como pessoa pura de coração, enfim, uma fogueira de vaidades. Como dizia outro autor que é referência importante para esta obra, o filósofo britânico Edmund Burke, do século XVIII: antes de qualquer problema político, existe um drama moral. Numa linguagem direta e simples, permeada por uma bibliografia que nada deixa a desejar, Constantino atravessa o ""menu caviar"" de nossa era vaidosa."
  • 431173

    PRÉ-VENDA

    Raca Nacao Classe

    sinopse
    • Lançado originalmente há trinta anos e publicado no Brasil pela primeira vez, Raça, nação, classe traz ao leitor um profícuo debate sobre o racismo e sua relação com a luta de classes, o capitalismo e o nacionalismo. Como é possível que o racismo ainda seja um fenômeno crescente? Quais são as características específicas do racismo contemporâneo? Esta obra tenta responder a essas perguntas fundamentais por meio de um diálogo entre o filósofo francês Étienne Balibar e o historiador e sociólogo estadunidense Immanuel Wallerstein. Ambos os autores desafiam a noção de que o racismo é uma continuação ou um retorno da xenofobia de sociedades do passado e o analisam como uma relação social indissoluvelmente ligada às estruturas sociais atuais ? o Estado, a divisão do trabalho e a divisão entre centro e periferia ? que são constantemente reconstruídas. Apesar de naturais divergências durante o diálogo, Balibar e Wallerstein enfatizam a modernidade do racismo e a necessidade de entender sua relação com o capitalismo contemporâneo. Acima de tudo, a obra revela as formas de conflito social presentes e futuras, em um mundo em que a crise do Estado é acompanhada por um aumento alarmante do nacionalismo, do chauvinismo e da xenofobia.
  • 431101

    25,0 %

    Rosa Luxemburgo E A Reinvencao Da Politica

    sinopse
    • Publicado no mês de aniversário de 150 anos de Rosa Luxemburgo, este livro do cientista político argentino Hernán Ouviña oferece uma introdução à vida e à obra da pensadora, revelando o potencial do seu pensamento para o contexto político latino-americano. O autor destaca nos escritos de Rosa a abordagem de temas caros para a militância do século XXI, como ecossocialismo, antipatriarcalismo, anticolonialismo e internacionalismo, além da valorização das formas de vida comunitárias e não capitalistas. Sem perder de vista as contribuições teóricas da autora, Hernán indica como a trajetória política de Rosa pode ajudar a recriar a luta emancipatória na contemporaneidade, a partir de uma compreensão da teoria marxista não como um sistema acabado a ser ?aplicado?, mas como uma caixa de ferramentas e um estímulo para o pensamento crítico e a ação disruptiva. Os capítulos deste livro buscam abrir uma janela por onde espreitar as diferentes inquietações e urgências que, para Rosa, remetem a problemas candentes e núcleos traumáticos que precisam ser discutidos, encarados e resolvidos de forma coletiva e sem receituário prévio para a construção do socialismo como um projeto civilizatório alternativo.
  • 431037

    25,01 %

    A Nova America Latina - Zahar

    sinopse
    • Um estudo abrangente e atualizado de uma nova América Latina a partir de suas dimensões políticas, econômicas, sociais e culturais. Resultado de extensa pesquisa de dois dos mais respeitados sociólogos da atualidade, este livro oferece o retrato fiel de um continente em ebulição. Na virada do milênio, a América Latina parecia ter chegado a uma certa estabilidade democrática após séculos de sangue, suor e lágrimas. Contudo, a crise de legitimidade política e a corrupção do Estado na maioria do continente abriram caminho para a fragmentação das democracias liberais. O como e o porquê de tais processos, e as transformações que eles orquestraram na vida das pessoas, são analisados magistralmente no livro de Calderón e Castells. Neste retrato envolto em luz e sombras, os autores apontam que, apesar de uma melhora dos indicadores básicos de desenvolvimento humano, a região permanece a mais desigual do mundo ? marcada pela urbanização descontrolada, o avanço da violência e do medo, a penetração do Estado pelo narcotráfico e a destruição do meio ambiente. No entanto, há caminhos de esperança: em meio às mudanças experimentadas, surgem novos movimentos ? liderados sobretudo por jovens, mulheres, povos indígenas e afrodescendentes ? que marcam as possibilidades de uma história centrada na ética da dignidade, da identidade, da ecologia, do antirracismo e do feminismo."
  • 430992

    24,99 %

    Quem Quer Pode Ser Negro No Brasil

    sinopse
    • Ao longo da primeira década deste século, a UFMG incentivou políticas de ações afirmativas para minimizar as desigualdades no acesso da população negra ao ensino superior. Em 2009, implementou a política de bônus, além de exigir uma autodeclaração racial. Porém, a partir de 2017, emergiram denúncias de fraudes, evidenciando uma incompatibilidade entre o modo como os candidatos se veem (autodeclaração) e o modo como os demais estudantes, de modo particular os negros, os enxergam (heteroidentificação). Como resultado desse movimento, a UFMG criou mecanismos complementares: os procedimentos de heteroidentificação racial, fundamentais no debate sobre as identidades raciais do brasileiro e do Brasil. Em um país onde se declarar, ou ser identificado como negro sempre foi visto como algo negativo, tal prática introduz duas perguntas inéditas: ?Quem quer se declarar negro (preto ou pardo) no Brasil?? e ?Quem pode se declarar negro (preto ou pardo) no Brasil??
  • 430955

    25,0 %

    Vamos Falar De Racismo

    sinopse
    • O suposto ?convívio pacífico? entre pessoas de diferentes origens é um mito que durante muito tempo foi associado ao Brasil. Somos, no entanto, um país racista ? como comprovam as manifestações explícitas ou veladas de preconceito, as estatísticas e o acesso desigual ao estudo, ao emprego e às posições de destaque nos mais diversos setores da sociedade. O primeiro passo para nos tornarmos antirracistas é falar abertamente sobre o tema. As 100 questões deste livro-caixinha® levam à reflexão, individual ou em grupo, e contribuem para a mudança efetiva de entendimento e de comportamento em relação ao assunto.
  • 430945

    PRÉ-VENDA

    Classicas Do Pensamento Social

    sinopse
    • Clássicas do pensamento social é uma coletânea de textos de oito pensadoras, de diferentes localidades, entre os séculos XIX e XX, que obtiveram nenhuma ou pouca circulação no Brasil. Clássicas do pensamento social responde, em primeiro lugar, a uma necessidade histórica: recuperar para o cânone das ciências sociais as ideias, a visão crítica e as elaborações teóricas de mulheres que não entraram para a história do pensamento social, cuja bibliografia, como acontece em tantas outras áreas de saber, é formada apenas por homens. Em provocação (e certa ironia), as organizadoras Verônica Toste Daflon e Bila Sorj tecem comentários e, ao mesmo tempo, questionam o que define um ?clássico?, retirando da marginalidade mulheres cientistas sociais ainda hoje muito relevantes.As autoras aqui retomadas ? Harriet Martineau, Anna Julia Cooper, Pandita Ramabai Sarasvati, Charlotte Perkins Gilman, Olive Schreiner, Alexandra Kollontai, Ercília Nogueira Cobra e Alfonsina Storni ? viveram entre o final do século XIX e o início do século XX. São herdeiras dos ideais das mulheres que estiveram na revolução francesa lutando por cidadania e que foram precursoras das sufragistas, que conquistaram o direito ao voto.Clássicas do pensamento social exerce com maestria uma espécie de arqueologia epistêmica dessas mulheres que, mesmo atuando na periferia do saber, conseguiram enfrentar os imensos obstáculos de seu tempo, mas ficaram à margem.
  • 430881

    PRÉ-VENDA

    Bantos Males E Identidade Negra

    sinopse
    • Bantos, malês e identidade negra reúne elementos históricos sobre a formação do Brasil em seu caráter étnico, identitário e cultural, e mostra ao leitor as contribuições dos bantos ao longo desse processo. À guisa de seu envolvimento com a resistência cultural negra no Brasil e na África, Nei Lopes estabelece novos parâmetros sobre a relação entre islamismo e negritude, apresentando uma face da história ignorada por grande parte dos brasileiros. Esta nova edição atualiza profundamente a bibliografia do livro originalmente lançado em 2007, incluindo obras de autores contemporâneos como Elikia M'Bokolo, Carlos Moore, Alberto da Costa e Silva e Jan Vansina, entre outros. Do ponto de vista historiográfico, aprofunda a importância do povo Zulu como matriz de diversos outros povos bantos. Do ponto de vista sociológico, discute a identidade negra incorporando temas e conceitos atualizados, como supremacismo, racismo estrutural e naturalização do racismo. Para o professor Joel Rufino dos Santos, ?[...] Nei é um híbrido que ironiza (no sentido socrático de contraideologia) suas duas metades. É um aglutinador de pobres negros suburbanos e intelectuais propriamente ditos?.
  • 430883

    24,99 %

    Batalhas Morais

    sinopse
    • Em Batalhas morais, Richard Miskolci analisa como demandas de justiça social alcançaram centralidade na vida política brasileira, desencadeando uma onda autoritária e anti-intelectual que ainda nos engolfa. Ele define a esfera pública atual como técnico-midiatizada por se materializar na confluência entre sua moldagem pelas novas tecnologias e pela midiatização e mercantilização da política. Contexto este que incentiva leituras individualistas e morais de problemas coletivos, criando, do lado conservador, empreendedores morais e, do lado progressista, empreendedores de si. Essa nova esfera pública incentiva a recusa aos mediadores sociais: instituições como a ciência, o jornalismo profissional e a justiça, assim como os profissionais que nelas trabalham. Miskolci analisa, então, o ataque aos mediadores sociais por meio da forma como a universidade e seus especialistas em gênero e sexualidade descobriram-se no fogo cruzado entre os empreendedores morais de um lado e as milícias identitárias de outro. Desigualdades históricas e estruturais deixaram de ser tratadas no registro do direito e da saúde pública em favor de um enquadramento moral benéfico à extrema-direita e no qual ambos os exércitos contribuíram para o fortalecimento do autoritarismo e para o ataque aos intelectuais acadêmicos, empobrecendo o debate público. Este livro lança luz, portanto, no repertório de ação e vocabular tanto dos empreendedores morais e sua cruzada contra o que batizaram de ?ideologia de gênero? quanto dos ativismos identitários com seus escrachos e cancelamentos justificados pela novilíngua de ?local de fala?, ?experiência? e ?cisgeneridade?. Miskolci discute aqui questões centrais na sociedade brasileira contemporânea, oferecendo uma reflexão crítica sobre as disputas políticas que têm moldado nosso presente.
  • 430857

    PRÉ-VENDA

    15,04 %

    Marcados

    sinopse
    • """Uma poderosa análise sobre as origens do racismo nos Estados Unidos da América e como fazer para destruí-lo. Edição conta com orelha assinada por Taís Araujo. A construção das raças sempre foi utilizada como estratégia para obter e manter o poder, para criar dinâmicas que, ao mesmo tempo, oprimem, separam e silenciam. Argumentos racistas são tecidos e, a partir de então, disseminados ao longo de todo o país, e o primeiro passo para que seja possível construir uma sociedade norteamericana antirracista é, acima de tudo, conhecendo profundamente o passado e o presente racistas dos Estados Unidos. Marcados: Racismo, antirracismo e vocês delineia a história do racismo, expondo como diversas narrativas políticas, literárias e filosóficas ao longo do tempo foram utilizadas com a finalidade de justificar a opressão em massa, a escravidão e o genocídio de pessoas negras. Dessa maneira os premiados Jason Reynolds e Ibram X. Kendi conduzem essa jornada, apresentando como ideiais racistas tiveram início, de que formas foram difundidas e, principalmente, como podem ser desacreditadas e desconsideradas. Por meio de uma emocionante, envolvente, acelerada e enérgica narrativa, Marcados não apenas direciona os holofotes para as várias e distintas formas de racismo presentes no dia a dia, mas também para quais estratégias você pode ? e deve ? adotar para identificar e eliminar, em seu cotidiano, pensamentos e posturas racistas, com o objetivo de criarmos um futuro justo, igualitário, consciente e, sem dúvidas, melhor. ?A palavra R: racismo. Alguns se escondem e procuram fugir desse assunto. Outros dizem que não é mais um tema atual. Mas Dr. Kendi desconstrói este pensamento, e Jason Reynolds torna a narrativa de fácil compreensão. Grave minhas palavras: este livro vai mudar tudo.? ? Nic Stone, autora best-seller de Cartas para Marti ?Impressionante e muito necessário.? ? Kirkus """
  • 431036

    25,01 %

    Casta - Zahar

    sinopse
    • A mais contundente análise dos impactos do racismo na sociedade contemporânea. Neste best-seller internacional, a jornalista Isabel Wilkerson, vencedora do prêmio Pulitzer, compara os Estados Unidos, a Índia e a Alemanha nazista, revelando como nosso mundo foi moldado pela noção de casta ? e como suas hierarquias rígidas e arbitrárias nos dividem ainda hoje. Escrito de modo criativo e original, Casta fornece pistas importantes para entender a crise da democracia nas sociedades ocidentais e o que está por trás dos protestos antirracistas que assumiram dimensões globais após o assassinato de George Floyd. Ninguém pode se dar ao luxo de ignorar a clareza moral de seus insights ou seu apelo urgente por um mundo mais livre e justo. Um dos livros de maior sucesso nos Estados Unidos em 2020, esta é uma obra fundamental para o debate antirracista no Brasil e no mundo. ?Um clássico instantâneo e provavelmente o mais importante livro americano de não ficção já publicado no século XXI.? ? The New York Times ?Magnífico. Profundo. Revelador. Sóbrio. Esperançoso.? ? Oprah Winfrey ?Uma ampla investigação sobre racismo, desigualdade institucional e injustiça. É um livro duro, que cala fundo, e não poderia ter chegado em um momento mais urgente.? ? The Guardian "
  • 430538

    PRÉ-VENDA

    15,01 %

    Box Biblioteca Essencial Do Feminismo - Acompanha Ecobag

    sinopse
    • Quatro importantes livros do feminismo reunidos pela primeira vez em uma caixa. Acompanha uma ecobag de algodão tamanho 29 x 38 cm. Esta Biblioteca Essencial do Feminismo apresenta quatro livros que reúnem de fato o que há de essencial, fundamental, no pensamento feminista. A mística feminina, clássico de Betty Friedan, que inaugurou a segunda onda, indica que a ?causa real para o feminismo [...] era o vazio do papel da esposa dona de casa?. O mito da beleza, de Naomi Wolf marcou o início da terceira onda, afirmando que ?Estamos em meio a uma violenta reação contra o feminismo, que emprega imagens da beleza feminina como uma arma política contra a evolução da mulher?. O feminismo é para todo mundo apresenta o feminismo negro e visionário de bell hooks, que registra: ?O feminismo é um movimento para acabar com sexismo, exploração sexista e opressão?. Feminismo em comum, de Marcia Tiburi, é uma bela introdução aos feminismos, incluindo o trans e o indígena, e nos conta que ?O feminismo é o contrário da solidão?. A mística feminina (560 pág.) Nesta obra pioneira, a partir de entrevistas, questionários e vasta bibliografia, Friedan identificou um sintoma social que denominou ?problema sem nome?. Manipuladas pela sociedade de consumo, mulheres mulheres heterossexuais brancas estadunidenses, moradoras de subúrbios de classe média deixaram o ideal de comportamento libertário das sufragistas, em voga até os anos 1930, e passaram a incorporar um imaginário sobre o ?feminino? projetado por homens brancos que haviam voltado da guerra fantasiando padrões de gênero sexistas. Criticado por algumas pessoas e louvado por outras, A mística feminina investiga como foi construída e mantida a norma social que define mulher a partir de uma existência frívola, consumista, devotada ao lar, ao marido e aos filhos, à qual estaria fadada. O mito da beleza (490 pág.) Em O mito da beleza, a jornalista Naomi Wolf afirma que o culto à beleza e à juventude da mulher é estimulado pelo patriarcado e atua como mecanismo de controle social para evitar que sejam cumpridos os ideais feministas de emancipação intelectual, sexual e econômica conquistados a partir dos anos 1970. As leitoras e os leitores encontrarão exposta a tirania do mito da beleza ao longo dos tempos, sua função opressora e as manifestações atuais no lar e no trabalho, na literatura e na mídia, nas relações entre homens e mulheres e entre mulheres e mulheres. Esta edição, revista e ampliada, traz uma apresentação da autora contextualizando o livro para os leitores de hoje, já que esteve mais de duas décadas longe das livrarias brasileiras. O feminismo é para todo mundo (176 pág.) A aclamada feminista negra bell hooks nos apresenta, nesta acessível cartilha, a natureza do feminismo e seu compromisso contra sexismo, exploração sexista e qualquer forma de opressão. O livro apresenta uma visão original sobre políticas feministas, direitos reprodutivos, beleza, luta de classes feminista, f

Produtos encontrados: 240 Resultado da Pesquisa por: em 8 ms

Itens por página:

Produtos selecionados para comparar: 0Comparar