Produtos encontrados: 834 Resultado da Pesquisa por: em 8 ms

Itens por página:

Produtos selecionados para comparar: 0Comparar

  • 429163

    +VENDIDOS

    20,0 %

    Tudo Que Ja Nadei - Edicao Com Brinde

    sinopse
    • *Edição com brinde: A pré-venda especial inclui postal com recado da autora.*Na imagem: postal em frente e verso.?Já nas primeiras páginas lendo Letícia Letrux, é como tomar um caldo e se divertir com isso. Rir de si mesma. É puro mar, mas ainda assim eu rio. Pororoca. Me fez lembrar de quando aprendi a nadar. Me fez pensar em quanto o mar me atrai e apavora. Ler Tudo que já nadei me deu vontade de boiar e, mais uma vez, me sentir acolhida no mar como no útero. Não que eu me lembre. Do mar sim, do útero nem tanto. Mas sei que tem água também.? ? LINN DA QUEBRADATextões, poemas e aforismos da maior voz da cena indie brasileira: Letícia Novaes, a Letrux.?Aos goles, salgados, doces, etílicos e brandos, as três seções de Tudo que já nadei nos vão entrando pela cabeça, revirando ou se assentando nos nossos estômagos, mas chegam, certamente, ao coração.? ? RITA VON HUNTY?Letícia flutua e mergulha, superficial e profunda, como pop music Escrever é uma coisa, fazer querer ler é outra inteiramente diversa Flutue, mergulhe, os textos são suas boias de braço, e nade. De nada.? ? LULU SANTOS?Este livro contém 855 aparições da vigésima letra do alfabeto romano: ?T?. Aqui dentro, Letrux diz que [...] De tesãoou de tédio, ?T? é uma letra perigosa. [...], talvez porque sua poética seja a da travessia ? cruzar uma porção de águaentre superfícies terrestres ?, da voz que, vestida do manto atmosférico, faz vibrar cargueiros e botes (...). Tua, toda,tão. Tá, tanto, tudo que Letrux já nadou tange a palavra canto: sons, ângulos, moradas, poemas.? ? BRUNA BEBERNessa coletânea de textões (ressaca), poemas (quebra-mar) e aforismos (marolinhas), mergulhe na voz potente eafetiva de Letrux.
  • 429155

    15,04 %

    Eu Mesmo Sofro Eu Mesmo Me Dou Colo - Edicao Com Brinde

    sinopse
    • *Edição com brinde: 3 adesivos. Poeta com mais de 1 milhão de seguidores nas redes sociais. Estes poemas são a manifestação literária das minhas dores. É um passeio por palavras que vão te descrever e dar forma para tudo o que você sabia que estava lá, mas não sabia explicar exatamente onde. Eu espero que este livro te faça resgatar sua originalidade, seu cheiro de você. Que te faça faxinar antigas salas empoeiradas de memórias doloridas e reformá-las para novos usos, com uma decoração mais moderna, e que faça sentido com seu ?eu? de agora. Afinal, você é uma casa linda demais para ter salas abandonadas.
  • 398466

    20,05 %

    Fim Em Doses Homeopaticas, O - Textos Crueis Demais - Globo Alt

    sinopse
    • O terceiro livro do best-seller de poesia Textos cruéis demais para serem lidos rapidamenteApós o sucesso absoluto dos dois volumes de Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente, Igor Pires retorna em mais uma coletânea inédita de textos poéticos, desta vez sobre as características das complexas fases que percorrem os relacionamentos. Dividido em quatro partes, O fim em doses homeopáticas explora de modo sensível o inevitável fim. O livro conta ainda com as belas ilustrações de Anália Moraes (Casa Dobra).
  • 397906

    15,01 %

    Felicidade Clandestina - Ed Comemorativa - Rocco

    sinopse
    • Desde o início, Clarice Lispector recusou a escravidão dos gêneros. Escrevia por fragmentos que depois montava. Escrevia aos arrancos, transcrevendo um ditado interior. As estruturas clássicas não faziam parte desse ditado. Seu olhar passava por cima das regras, quase voraz em sua busca da essência.Este livro bem o demonstra. É composto por contos escritos em épocas diversas da vida de Clarice. E por não contos. Muitos deles ? como ?Felicidade clandestina?, que dá título ao livro ? foram publicados no Caderno B do Jornal do Brasil. Como crônicas. Que também não eram crônicas.Convidada em 1967 para escrever no JB, Clarice deparou-se com um fazer literário novo. Logo negou os padrões vigentes: ?Vamos falar a verdade: isto aqui não é crônica coisa nenhuma. Isto é apenas. Não entra em gêneros. Gêneros não me interessam mais.?E ?isto? era a mais pura e rica literatura. Nos contos / crônicas / textos ? que eu, como subeditora do Caderno recebia semanalmente, Clarice se expunha em recordações familiares e de infância. Sua irmã Tania ainda se lembra da menina, filha de livreiro, que encontramos em ?Felicidade clandestina?, atormentando Clarice por conta do empréstimo de um livro.
  • 373239

    25,64 %

    Para Todas As Pessoas Intensas - Outro Planeta

    sinopse
    • "Um dia alguém vai sumir da sua vida, só porque você é intenso demais, ou porque você é simplesmente amor demais. E algumas pessoas têm medo do amor. ser intenso é ser profundo demais, imenso demais, vivo demais, e hoje em dia, as pessoas têm um medo danado disso. ser intenso é sentir o gosto, o cheiro, o toque, a textura da pele de um jeito diferente. o coração é grande demais, e às vezes isso dói também, é que ao mesmo tempo que há espaço de sobra há muita gente pequena no mundo. tenho uma mania absurda de achar que o outro vai agir da mesma maneira transparente que eu, que o outro vai se preocupar comigo do mesmo modo que me preocupo, que o outro vai querer na mesma intensidade que quero, e isso é uma droga. não sei ser pouco, não sei gostar um pouquinho e guardar pra mim o que sinto. sou intenso, sinto muito, sinto grande. sinto tanto que sempre acho que o problema está em mim por sentir demais, quando, na verdade, as pessoas que não estão prontas pra tamanha imensidão."
  • 370977

    27,57 %

    Pra Voce Que Teve Um Dia Ruim - Outro Planeta

    sinopse
    • "Este livro é para todas as pessoas que precisam de um abraço, de uma dose de afeto, de luz, de amor. Para todas as pessoas que precisam voltar a acreditar que vai ficar tudo bem. Não vai ter mágica. Não vai ter um clique onde tudo vai passar de uma maneira brusca. Não vão ter soluções caindo do céu. A única solução mágica que eu conheço é continuar seguindo em frente apesar de tudo. Continuar vivendo, enfrentando, caminhando mesmo cambaleando e tropeçando e sentindo dor. É preciso se permitir seguir em frente. Permitir-se levantar e continuar. Parar de se achar fraco. Você não é fraco, você só está passando por dias ruins, por momentos dolorosos, por algumas situações incômodas. Você está longe de ser fraco. Olhe quantas coisas você superou, quantas coisas você precisou enfrentar e conseguiu dar a volta por cima. Eu sei que é difícil, mas a única coisa que posso te dizer agora é que vai passar. O resto é o tempo quem diz. E, sim, vai passar. Vai, sim. Você sabe."
  • 366075

    30,0 %

    Sobre Demonios E Pecados - Nacional

    sinopse
    • Sobre Demônios e Pecados traz uma série de ensaios de Rubem Alves abordando as semelhanças entre as supostas manifestações demoníacas com enfermidades psicológicas, além de abordar diversas superstições, traçando um paralelo entre a origem de seres folclóricos e o comportamento humano. Ainda nesta linha, Rubem Alves costura todo o raciocínio de como vivemos duas realidades ? a interna, mental, e a externa, física ? e a influência que uma pode exercer sobre a outra ao explorar também os pecados capitais; como eles afetam nossa existência e nosso convívio em sociedade.
  • 362395

    26,73 %

    Eu Tenho Serios Poemas Mentais - Outro Planeta

    sinopse
    • Antes de mais nada eu gostaria de pedir licença ao seu coração, pois sinto que a relação que vamos criar a partir de agora é muito forte. Eu escrevi neste livro as poesias sobre os lugares mais íntimos em mim, aqueles lugares que são tão profundos que até eu mesmo só consigo visitar às vezes... Estou me apresentando para você como sou, sem rosto, sem voz e sem cheiro. Apenas ideias. E tudo o que sou são ideias. Neste momento, uma voz está lendo estas palavras em sua cabeça, dentro da sua imaginação, e já não é mais a minha voz, eu não sei como ela é, mas espero que seja doce e suave. Seus pensamentos estão dançando com os meus, e já não sei mais onde eu termino e você começa, e esta é a relação mais íntima que eu já tive com alguém. Obrigado por estar aqui.
  • 429946

    Xo Pandemia

    sinopse
    • A família é certamente o nosso porto seguro, e é exatamente em momentos turbulentos, como este em que estamos passando, que graças ao amor, carinho, admiração e respeito entre nós, podemos evoluir, nos reinventar a cada minuto. A resiliência que existe em nós permite que consigamos vencer, ensinando e aprendendo constantemente com nossos filhos. Com uma visão divertida esse cordel infantil expressa como nos entretemos e passamos pela pandemia da COVID-19 neste ano de 2020. Fabiana de Almeida Miranda Carvalho
  • 429709

    PRÉ-VENDA

    O Castical Florentino

    sinopse
    • De volta ao conto dezessete anos depois de sua elogiada estreia no gênero, Paulo Henriques Britto nos conduz por um universo povoado por personagens que se veem diante de escolhas decisivas sobre a própria identidade. Um engenheiro se envolve com um grupo de teatro experimental. Um guerrilheiro fugindo do Exército vira uma espécie de santo numa cidadezinha cheia de fiéis. Um burocrata tem um estranho flashback ao entrar no prédio onde deveria apenas retirar um documento. Como narrativas de formação sui generis, passadas no mundo adulto e vividas por indivíduos aparentemente comuns, as nove histórias de O castiçal florentino têm por subtexto um grande ?e se??. O inconformismo com o que é previsível se espalha inclusive pela linguagem: com uma liberdade equivalente ao grande domínio técnico que tem do ofício, Paulo Henriques Britto experimenta diferentes estilos e tipos de registro ? do ensaio ao discurso de agradecimento, do texto introspectivo em primeira pessoa à metaficção em terceira ? sem perder de vista o calor humano daquilo que descreve. Um conjunto extraordinário de histórias em que, à força de devaneio, a ficção se apresenta como elemento-chave e plano de fuga da ordem cotidiana.
  • 429653

    PRÉ-VENDA

    Impressao Sua

    sinopse
    • """ Terceiro livro de poemas de uma das vozes mais afiadas, lúcidas e mordazes do nosso tempo. Neste livro de poemas, que é também um livro de memórias, André Dahmer visita lembranças da infância e da adolescência para fazer um acerto de contas com o presente. Estão aqui as descobertas do amor e do sexo, da paixão e do fim da paixão, da morte e do medo da morte: ?e sei que todos os erros são para sempre/ a bicicleta/ o violão/ o casamento/ tudo o que a gente ama/ um dia precisará de conserto?. Com lucidez melancólica, humor afiado e impressionante franqueza, Dahmer usa experiências da própria vida como matéria-prima para seus versos ? ora cômicos, ora brutais. Impressão sua revela a sensibilidade desconcertante de uma das mentes mais contundentes e brilhantes da atualidade: ?as grandes mágicas/ não são feitas por mágicos?. """
  • 429491

    PRÉ-VENDA

    Insonia

    sinopse
    • Em novo projeto gráfico, Insônia reúne treze contos em que estão presentes a secura emotiva e a economia vocabular, características que convivem com a precisão psicológica de Graciliano Ramos. Publicado originalmente em 1947, Insônia é o sexto livro de Graciliano Ramos. A obra reúne treze contos ? ?Insônia?, ?Um ladrão?, ?O relógio do hospital?, ?Paulo?, ?Luciana?, ?Minsk?, ?A prisão de J. Carmo Gomes?, ?Dois dedos?, ?A testemunha?, ?Ciúmes?, ?Um pobre-diabo?, ?Uma visita? e ?Silveira Pereira? ?, nos quais temas muito caros ao autor se evidenciam, como morte, envelhecimento e injustiça social.Insônia mostra como o ser humano reage a situações diversas, revelando suas fragilidades e angústias. As histórias desta obra estão repletas de inquietudes existenciais que oferecem ao leitor a possiblidade de confrontar a própria realidade, acompanhado sempre do estilo que consagrou Graciliano Ramos como um dos maiores autores brasileiros, e que já é conhecido dos leitores: a economia vocabular, a secura emotiva e a precisão psicológica.
  • 429256

    PRÉ-VENDA

    Amalgama

    sinopse
    • "Em ""Amálgama"", livro de contos de Rubem Fonseca, residem todos os elementos - o erotismo, a violência, a velocidade narrativa, o clima noir - que consagraram o autor de ""Lúcia McCartney"". Rubem Fonseca consegue construir uma narrativa que se desenha ao longo dos contos e, ineditamente, das poesias. Personagens e situações unidos pela tristeza, pela dor, pela raiva, pelo fracasso, pela ternura e pelo amor, um verdadeiro amálgama de vidas que se constroem e se destroem num instante. ""Amálgama"" foi premiado com o Jabuti, na categoria Conto e Crônicas, em 2014."
  • 429139

    Estas Estórias

    sinopse
    • Os originais dos contos que integram este livro foram localizados ainda em versões manuscritas e datiloscritas entre os pertences de Guimarães Rosa após seu falecimento. Publicado em 1969, Estas estórias traz oito narrativas longas, além da ?entrevista-retrato? intitulada ?Com o vaqueiro Mariano?. Mantendo a excelência narrativa que marcou a escrita rosiana, os contos justificam sua publicação. Em ?A estória do homem do Pinguelo?, temos a presença simultânea de dois narradores, um de personalidade culta e outro de perfil mais simples, com linguagem marcadamente popular. No conto ?Meu tio o Iauaretê, o narrador-protagonista é um homem do sertão que, ao caçar onças, acaba por se identificar com o universo animal mais do que poderíamos imaginar. A edição da Global traz ao fim um texto de Walnice Nogueira Galvão, crítica literária e especialista na obra de Guimarães Rosa, intitulado ?O impossível retorno?.
  • 429106

    O Burrinho Pedres

    sinopse
    • João Guimarães Rosa nasceu em 27 de junho de 1908, em Cordisburgo, Minas Gerais. Publicou, em 1946, o seu primeiro livro, Sagarana, que foi recebido pela crítica com entusiasmo por sua capacidade narrativa e sua linguagem inventiva. Formado em Medicina, Rosa chegou a exercer o ofício em Minas Gerais e, posteriormente, seguiu carreira diplomática. Além de Sagarana, constituiu uma obra notável com outros livros de primeira grandeza, como Primeiras Estórias, Manuelzão e Miguilim, Tutameia ? Terceiras Estórias, Estas Estórias e Grande Sertão: Veredas. Este último romance levou o autor a ser reconhecido no exterior. Em 1961, Rosa recebeu o prêmio Machado de Assis da Academia Brasileira de Letras (ABL) pelo conjunto de sua obra literária. Faleceu em 19 de novembro de 1967, no Rio de Janeiro.
  • 428549

    Apague A Luz Se For Chorar

    sinopse
    • Em Apague a luz se for chorar, duas narrativas se entrelaçam para compor um retrato do interior do Brasil e pensar até onde é possível esconder um segredo de família. Cecília não sabe muito bem o que fazer com a própria vida. Depois de mudar de Brasília para o Rio de Janeiro, a jovem ainda não conseguiu encontrar um emprego nem organizar seu futuro. João, pai solteiro de uma criança com paralisia cerebral, tenta levar a vida em Brasília como pode. Trabalha como veterinário do município durante o dia e procura formas de ganhar mais dinheiro à noite ? o objetivo é juntar quantia suficiente para bancar um tratamento experimental para o filho. Quando os pais de Cecília morrem, ela é forçada a voltar para a pequena cidade de sua infância, onde eles ainda moravam. Mas uma dúvida começa a atormentá-la: a possibilidade de que eles foram assassinados. E João, desesperado por mais recursos, começa a se aventurar por trabalhos pouco recomendáveis. Ao cruzar suas histórias, Fabiane Guimarães cria um suspense impactante sobre o que significa ser parte de uma família, e os limites que estamos dispostos a ultrapassar para mantê-la.
  • 428063

    Algo Antigo

    sinopse
    • Novo livro de poemas de um dos artistas mais inventivos da atualidade. ?aqui jaz/ o presente// eterno porque eterna// mente fugaz?, escreve Arnaldo Antunes. Em seu novo livro, o compositor e poeta mistura poemas, poemas visuais e fotografias para falar sobre o tempo ? o presente e também o passado: ?não tenho saudades/ do que vivi// porque tudo/ está aqui?. O isolamento, o noticiário e a política são eixos centrais desses versos que, com humor e sensibilidade, impressionam por sua atualidade e contundência. Para Noemi Jaffe: ?Naquele que talvez tenha sido o ano mais difícil de nossas vidas, ano de pandemia e de esboço de ditadura, Algo antigo repercute a solidão de cada um ?isolado/ por um exército de desertos?, cada um como uma ?multidão amputada?. Mas é ?enfiando a adaga do sentido na palavra? que cada uma dessas multidões recupera e refaz seus sentidos possíveis, prontos para o que foi, é e virá a ser.?.
  • 427702

    14,99 %

    Para Ressignificar Um Grande Amor

    sinopse
    • Em seu novo livro, João Doederlein (Akapoeta) nos conduz por seu processo de cura e autoconhecimento, resgatando uma lição importante para todos nós: a vida não é feita de certezas, e recriar faz parte do ciclo. ?Em Para ressignificar um grande amor, pude conhecer outra faceta da pessoa incrível que é João. Ele se abre à sensibilidade das palavras, às formas criativas e ilimitadas dos ressignificados e ao jogo de sentimentos que fluem nesta história que ele conta com mãos tão apaixonadas. Matilda foi seu grande amor, e o eu-lírico começa o livro resgatando uma lição importante para todos nós: a tentativa de ressignificar alguém que nos marcou é um movimento necessário para a manutenção da vida. Ele diz: ?finais não são absolutos. O amor encerra, a gente não?, como quem ainda sente na pele a dor amargurada de algo que poderia ter dado certo, mas não deu. Mesmo assim, se concede a oportunidade de continuar vivendo e seguindo ? tanto na vida quando na narrativa da sua história. Esta obra me trouxe sorrisos, reflexões, e me inspirou a escrever. Acho que é isto o que uma boa história faz: te move, te cutuca, te alavanca a outros universos. E aqui estou eu, apaixonado por cada palavrinha que o mundo do João me apresentou.? ? Igor Pires da Silva ?Se apaixonar é perceber que todas as palavras desconhecidas já existiam dentro da gente. Se desapaixonar é descobrir o nosso próprio significado para cada uma delas. Este livro é um lindo presente para quem se perdeu nesse processo e sabe que o caminho de volta exige coragem. Recomendo a leitura para todas as vezes em que o amor te virar as costas.? ? Bruna Vieira
  • 427299

    Livro De Pre Coisas

    sinopse
    • A natureza é a matéria-prima deste Livro de pré-coisas, que celebra a conexão entre os seres e o ambiente sem distingui-los por importância, capacidade ou tamanho. A edição traz prefácio de Maria Valéria Rezende e imagens do acervo pessoal do poeta. ?Quando meus olhos estão sujos da civilização, cresce por dentro deles um desejo de árvores e aves.? Esses versos tão atuais sintetizam este Livro de pré-coisas. Publicada originalmente em 1985, a obra consolida muitas das características que tornaram Manoel de Barros um dos maiores poetas brasileiros. Entre os traços mais marcantes de sua escrita, estão a já reconhecida singularidade de sua linguagem, que evoca imagens reinventando as palavras, e o rompimento com a lógica do mundo civilizado e com as fronteiras entre a prosa e a poesia. O personagem Bernardo, andarilho que atravessa toda a obra de Manoel, aparece aqui. E ele vem de longe ?com sua pré-história? para ciceronear o leitor por esse universo tão rico ? só ele é capaz de aplainar as águas com as mãos ou de assustar o mato. Bernardo, que representa a conexão do homem com a natureza, tem como seu ?grande luxo? justamente ?ser ninguém?. A natureza, para o poeta, não é um cenário ou uma espécie de reservatório de clichês ? a natureza é, acima de tudo, a matéria-prima de sua poesia.
  • 427300

    26 Poetas Hoje

    sinopse
    • Reedição da mais importante antologia de poesia brasileira da década de 1970, que completa 45 anos. O ano é 1976. Em meio à censura e à repressão da ditadura, numa época batizada por Zuenir Ventura de ?vazio cultural?, a professora e escritora Heloisa Buarque de Hollanda publicou uma antologia que causou furor. 26 poetas hoje trazia a atmosfera coloquial e irreverente que conflagraria a década de 1970, também chamada de geração mimeógrafo ou geração marginal. Eram poetas que estavam à margem do circuito das grandes editoras e que produziam seus livros de maneira artesanal, em casa, em pequenas tiragens vendidas em centros culturais, bares e nas portas dos cinemas. Ao reunir poetas que engrossavam o caldo da contracultura, o livro foi uma resposta direta aos anos de chumbo e se tornou um clássico da poesia brasileira, referência incontornável para escritores e leitores de poesia. Participam: Francisco Alvim, Zuca Saldanha, Antonio Carlos de Brito (Cacaso), Roberto Piva, Torquato Neto, José Carlos Capinan, Roberto Schwarz, Zulmira Ribeiro Tavares, Afonso Henriques Neto, Vera Pedrosa, Antonio Carlos Secchin, Flávio Aguiar, Ana Cristina Cesar, Geraldo Eduardo Carneiro, João Carlos Pádua, Luiz Olavo Fontes, Eudoro Augusto, Waly Sailormoon, Ricardo G. Ramos, Leomar Fróes, Isabel Câmara, Chacal, Charles, Bernardo Vilhena, Leila Miccolis e Adauto de Souza Santos.
  • 427166

    25,02 %

    So Os Profetas Enxergam O Obvio

    sinopse
    • "Muito alEm de um mero recorte de frases inesquecíveis sobre os mais diversos temas, ""Só os profetas enxergam o óbvio"", apresentado pelo crítico AndrE Seffrin, E um prato cheio para quem quer entrar no universo rodriguiano e conhecer ou rever suas opiniões firmes, por vezes polêmicas, mas incrivelmente atuais. Ácidas, divertidas, espantosas, profEticas, impactantes, geniais: as frases de Nelson Rodrigues fazem dele, como escreveu Carlos Heitor Cony, ?de longe o maior fabricante de bordões da nossa literatura?."
  • 427021

    Deixe O Quarto Como Esta - Nova Edicao

    sinopse
    • "Um homem acorda e descobre que tem a companhia de um crocodilo. Outro personagem toma um trem para sair da cidade mas não consegue deixá-la. Os muros de um povoado começam a se movimentar. Nos contos de naturalidade inquietante e humor sutil de Bettega Barbosa, o real e o fantástico se confundem para transformar nosso modo de perceber a realidade. Nas histórias de Deixe o quarto como está, a lógica cotidiana abre espaço para estranhos eventos e relações, que passam a impor suas próprias regras e configuram um novo mundo. Alguns dos contos, como ""Auto-retrato"", ""Aprendizado"" e ""Para salvar Beth"", permitem uma leitura realista. Outros adentram sem hesitação o terreno do fantástico: ""Hereditário"", ""O crocodilo"", ""O rosto"", ""O encontro"" - inquietantes fantasias kafkianas narradas com o humor sutil de um cineasta surrealista. Há também relatos a meio caminho entre o real e a fantasia, como ""Exílio"", ""Correria"" e ""Espera"", que induzem o leitor a questionar a sanidade (ou franqueza) do narrador, para decidir sobre a credibilidade da história. Invariavelmente, o que impressiona é a habilidade de Bettega Barbosa em enredar o leitor como cúmplice na construção de estranhos e perturbadores universos."
  • 426593

    O Poeta Sabia

    sinopse
    • Alçando audaciosos voos pela literatura desde muito cedo, Alan hoje aos 13 anos voa mais alto ao lado de sabiás, juazeiros e ícones da literatura cearense e brasileira nesta obra repleta de simbolismos e referências. O Poeta Sabiá é um convite para o deleite e reflexão, pelos olhos de uma criança que exala sabedoria e enche-nos de esperança num novo amanhecer.
  • 426567

    Arte Poetica - Edicao Bilingue E Capa Dura

    sinopse
    • Arte poética é como ficou conhecido o pequeno tratado em verso que Horácio escreveu como carta aos irmãos Pisões. É o mais longo poema de Horácio, com quase quinhentos versos. A partir das discussões sobre o teatro em geral, entremeando discussões sobre problemas de metros, personagens e temas com passagens de ironia e poeticidade, o poeta fez uma espécie divertida de tratado que por séculos vem sendo considerado um poema fundador para outras poéticas do Ocidente, com um número incontável de estudos e traduções. A tradução de Guilherme Gontijo Flores recria parte do metro antigo em seu caráter vocal, no entanto, também mostra os vários momentos de riso e mesmo de sátira que marcam a escrita de Horácio e fazem um contraste radical com as leituras tradicionais que viam no poema uma expressão puramente séria e quase acadêmica. O desafio desta tradução é fazer da Arte poética um poema conversacional, por vezes engraçado, sem com isso perder o complexo debate sobre a aventura literária.
  • 426435

    Carpinejar - Bertrand Brasil

    sinopse
    • O retorno de Carpinejar para a poesia depois de cinco anos. Um livro sem título, sem prefácio, sem abas de apresentação, sem fiadores, sem notas biográficas sobre o autor, sem adornos: só poemas falando diretamente com o leitor, só com o essencial da vida. Despojado, livre, feito para o despojamento, contra as aparências e as fachadas, valorizando unicamente o que está escrito. Assim como uma carta, em que reina o segredo entre o remetente e o destinatário.
  • 425512

    A Via Crucis Do Corpo - Edicao Comemorativa

    sinopse
    • "Publicados pela primeira vez em 1974, os 13 contos que compõem A via crucis do corpo, de Clarice Lispector, são precedidos por uma explicação da autora. Ela diz que as histórias foram feitas sob encomenda e que, contrariando sua vontade inicial, aceitou a tarefa por puro impulso. Tentou assiná-lo com o pseudônimo Cláudio Lemos, mas acabou sucumbindo ao argumento de que deveria ter liberdade para escrever o que quisesse. E foi o que fez, num único fim de semana. Mas registrou: ""Se há indecências nas histórias a culpa não é minha."" A via crucis do corpo não tem nada de imoral, é, antes de tudo, uma fresta no cárcere social que mantém a mulher ? condutora de todos os contos ? supostamente distante de seus desejos e fantasias. Ou dos fardos, como a virgindade. O que Clarice fez foi apenas descrever, de forma leve e bem-humorada, algumas dessas benditas transgressões. Mas como em toda a sua obra, a autora abre espaço para falar dos sentimentos mais profundos e das sinceras idiossincrasias da alma. Em ""O homem que apareceu"", ela se depara com Cláudio Brito, um grande poeta transformado em lixo humano, e relativiza o fracasso: ""Mas quem pode dizer com sinceridade que se realizou na vida? O sucesso é uma mentira."" Na abertura de ""Por enquanto"", Clarice chega a ser cruel: ""Como ele não tinha nada a fazer, foi fazer pipi. E depois ficou a zero mesmo."" Ato contínuo, alerta que a vida tem dessas coisas, de vez em quando não sobra nada dentro da gente. Mas é bom prestar atenção porque isso só acontece enquanto se vive. Nova edição, agora com projeto gráfico de Victor Burton e capa criada a partir de pinturas da própria Clarice. Esta edição traz posfácio de Licia Manzo."
  • 425495

    Lira Dos Vinte Anos - Capa B

    sinopse
    • Álvares de Azevedo é um dos principais nomes da segunda geração do romantismo. Enquanto a primeira se confunde com o ideal de nascimento da nação e a busca do herói nacional, a geração de Álvares escreve poemas nos quais há uma entrega total à sensibilidade e à fantasia alucinada. No lugar do índio, natureza e pátria, a ênfase migra para a angústia, o sofrimento e a dor existencial. Há um negativismo boêmio, um pessimismo e tédio constante. Os assuntos principais são doença, morte, fuga da realidade e uma relação dúbia com o sexo. Lira de vinte anos é a única obra preparada pelo autor, embora também tenha sido publicada após sua morte prematura, em 1852, aos 20 anos.
  • 425419

    Lira Dos Vinte Anos - Capa C

    sinopse
    • Álvares de Azevedo é um dos principais nomes da segunda geração do romantismo. Enquanto a primeira se confunde com o ideal de nascimento da nação e a busca do herói nacional, a geração de Álvares escreve poemas nos quais há uma entrega total à sensibilidade e à fantasia alucinada. No lugar do índio, natureza e pátria, a ênfase migra para a angústia, o sofrimento e a dor existencial. Há um negativismo boêmio, um pessimismo e tédio constante. Os assuntos principais são doença, morte, fuga da realidade e uma relação dúbia com o sexo. Lira de vinte anos é a única obra preparada pelo autor, embora também tenha sido publicada após sua morte prematura, em 1852, aos 20 anos.
  • 425342

    20 Contos Sobre A Pandemia De 2020

    sinopse
    • Transformar em palavras o que o mundo inteiro viveu nos últimos dez meses foi a tarefa aceita por 20 escritores mineiros, convidados para expressar, em contos, o espírito de cada um deles durante o longo período de isolamento social. Assim nasceu o livro 20 Contos sobre a Pandemia de 2020. A intenção foi apresentar um painel composto por diferentes vozes literárias a respeito do tema, possibilitando, assim, o registro e a compreensão futura sobre o acontecimento. ?A seleção dos nomes consagrou o princípio da diversidade, em toda a sua extensão. O time aqui reunido é absolutamente heterogêneo, abrigando representantes de gerações, origens, trajetórias e estilos bem distintos, providência capaz de dotar a coletânea de caráter abrangente, inclusivo e, por isso, democrático?, explica o organizador Rogério Faria Tavares, jornalista e presidente da Academia Mineira de Letras.
  • 425312

    Arremate

    sinopse
    • Livro que marca os oitenta anos de um dos principais poetas brasileiros em atividade. Armando Freitas Filho, uma das vozes mais importantes da poesia brasileira, chega aos oitenta anos com um livro que lida, diretamente, com o momento presente. Os poemas visitam temas conhecidos a seus leitores ? como a casa, o Rio de Janeiro, sua paixão por Carlos Drummond de Andrade e Van Gogh ?, mas também respondem, a quente, ao noticiário, em versos afiados sobre política, violência e brutalidade policial. As marcas do tempo estão entranhadas nos poemas de Arremate, que refletem sobre a maturidade. O ofício da escrita surge como um dos eixos centrais do livro. O poema ?Trifásico? joga luz sobre os bastidores do poeta: ele primeiro escreve à mão, depois passa para a máquina e, por fim, o poema surge, já limpo, na tela do computador. Em ?Caderno?, Armando Freitas Filho sintetiza, com maestria, sua poética: ?A memória é feita do papel fino/ que separa uma página da outra?.
  • 425227

    Livro De Sonetos

    sinopse
    • Nova edição, ilustrada e em capa dura, de um clássico da poesia brasileira. A matéria-prima da obra de Vinicius de Moraes é a vida, ?e só a vida, com tudo o que ela tem de sórdido e sublime?. O Livro de sonetos revela a naturalidade e o engenho com que o poeta é capaz de transpor pequenos e grandes momentos ? das alegrias e asperezas mais cotidianas às emoções mais elevadas ? para a forma metrificada e rimada. Lançado originalmente em 1957, o volume passaria a incluir, nas décadas seguintes, novas composições: aos 57 selecionados pelo próprio autor, somaram-se dezesseis poemas esparsos. Para Eucanaã Ferraz, que assina a organização e o prefácio desta edição, os sonetos de Vinicius ?impressionam pela carga emotiva que encerram, mas também pela maleabilidade que a forma fixa adquire nas mãos do poeta?. Estão aqui verdadeiras joias da poesia brasileira, como ?Soneto de fidelidade? e ?Soneto de separação?, que seguem conquistando gerações de leitores com igual arrebatamento. Prefácio de Eucanaã Ferraz. Posfácio de Otto Lara Resende.
  • 425109

    Contos Bem-humorados

    sinopse
    • O conteúdo de Contos Bem-humorados está calcado em histórias ficcionais de possíveis acontecimentos marcados por realismo duvidoso, muitas vezes surrealistas, oferecendo enredos com a única finalidade de produzir risos e divertir. Humor também faz parte da arte literária. O autor dá grande importância aos benefícios do riso na saúde e no bem-estar anímico.

Produtos encontrados: 834 Resultado da Pesquisa por: em 8 ms

Itens por página:

Produtos selecionados para comparar: 0Comparar