Produtos encontrados: 172 Resultado da Pesquisa por: em 10 ms

Itens por página:

Produtos selecionados para comparar: 0Comparar

  • 339905

    18,03 %

    Santo E A Porca, O - Nova Fronteira

    sinopse
    • Escrita em novembro de 1957, O Santo e a Porca retoma um tema clássico com uma roupagem original: não apresenta o vício da avareza apenas pelo que nele há de risível, a exemplo do que fizeram Plauto e Molière, mas, também, do por seu aspecto doloroso, tomando o ponto de vista de quem o possui.
  • 459169

    PRÉ-VENDA

    Sortilégio

    sinopse
    • SINOPSE Incrível a atualidade dos textos de Abdias Nascimento. A cada vez que nos deparamos com um, salta aos olhos o frescor, a pertinência e a contundência de sua prosa, de seus diálogos, de sua força, de sua capacidade como orador. Sortilégio escancara a brutalidade do racismo no Brasil, denuncia a farsa da democracia racial e ainda ilumina e se abre para uma poderosa cultura brasileira de matriz africana, além de trazer a discussão sobre identidade. Esta edição marca o estabelecimento do texto da peça, com partituras de Nei Lopes, e traz análise de Elisa Larkin Nascimento sobre as encruzilhadas entre o masculino e o feminino na obra, além de entrevistas com Léa Garcia, atriz protagonista da montagem de estreia em 1957, ngelo Flávio Zuhalê, diretor da montagem de 2014, e do produtor e gestor cultural Jessé Oliveira. QUARTA-CAPA Sortilégio revela a sorte do povo negro sob a mortalha da democracia racial. Ao contar a história de Emanuel, negro e doutor, a peça traça a biografia de milhões. Seu drama, este drama, é nossa tragédia. Mesmo censurada, difamada e polêmica, Sortilégio tornou-se, logo na estreia, um dos principais marcos do moderno teatro brasileiro: por seu texto inovador, pela plasticidade de sua encenação ? as ilustrações deste livro o provam ?, pelo olhar crítico e contundente sobre a nossa realidade, pela importância social da presença negra em cena, física e espiritualmente. Feitiço catártico, a religiosidade de matriz africana se apresenta não como mera reprodução pitoresca, mas como poderosa simbiose entre forma e caráter. Nesse sentido, os pontos dos orixás, por exemplo, lhe dão ritmo e integridade sígnica e estilística. Exu abre os caminhos? Esta edição apresenta a última versão revista pelo autor. Traz ainda depoimentos da consagrada atriz Léa Garcia e do encenador ngelo Flávio Zuhalê, e ensaios de Elisa Larkin Nascimento e Jessé Oliveira. E traz mais: a certeza de que o poder e o encanto das falas das personagens transcendem o teatro, pois, se a peça de Abdias Nascimento tem aqui sua versão definitiva, o racismo que a obra esconjura ainda persiste e tem o país inteiro como palco. PARALELOS A coleção Paralelos traz obras de ficção e narrativas poéticos com qualidade literária e originalidade. DA CAPA Imagem da capa: Cena de Sortilégio, montagem de 2014, com direção de ngelo Flávio Zuhalê.
  • 458872

    14,94 %

    Diatribe De Amor Contra Um Homem Sentado

    sinopse
    • Publicada originalmente em 1987 e inédita no Brasil, Diatribe de amor contra um homem sentado é a única peça escrita por Gabriel García Márquez. É o relato íntimo e sincero de uma mulher prestes a completar 25 anos de casada. ?Nada se parece tanto com o inferno como um casamento feliz!?Assim começa Graciela Jaraiz de la Vera ? esposa de um homem acomodado, neto de um marquês ? às vésperas das bodas de prata de seu casamento. Assim começa seu monólogo, seu diálogo frustrado sobre a felicidade pública e a infelicidade íntima, sobre o paralelo entre a ascensão social e o crescimento do desgosto. Graciela se dirige ao marido, mas ele nada diz, limita-se a ficar sentado de terno escuro na poltrona lendo o jornal. Na verdade, de acordo com García Márquez, trata-se de um manequim, um objeto sobre o qual ela projeta o desencanto de uma vida marcada pela perda: da confiança nele, do respeito por ele, do valor de seus sentimentos por ele. Tudo para descobrir que, apesar de seus rancores, ela não consegue deixar de amá-lo.Inédito no Brasil, Diatribe de amor contra um homem sentado é um monólogo em um ato para uma única atriz, a única peça escrita por Gabriel García Márquez. Encenada pela primeira vez em Buenos Aires, em 1988, no IV Festival Ibero-Americano de Teatro, este livro é um texto curto, mas de inigualável profundidade. União do trágico e do satírico, ele é a reconstrução de uma vida a dois, o retrato de uma mulher prisioneira de um amor que sabe não ter como compartilhar.?O certo é que a felicidade não é como dizem, que só dura um instante, e a gente só fica sabendo que teve quando ela já se acabou. A verdade é que ela dura enquanto dura o amor, porque com amor até morrer é bom.? ?Um autêntico original de García Márquez, poético, sentencioso, transbordando prazeres terrenos.? - El País
  • 457563

    5,0 %

    Medida Provisória - Diário Do Diretor

    sinopse
    • Em Medida provisória: Diário do diretor (Editora Cobogó), Lázaro Ramos narra os bastidores de seu primeiro trabalho atrás das câmeras, como diretor de cinema. Compartilhando desafios, escolhas criativas e descobertas, Lázaro conta seu envolvimento com o projeto desde que conheceu a peça Namíbia, não!, de Aldri Anunciação, e decidiu adaptá-la para o cinema. ?Entendemos logo que ali havia uma ideia muito original e que trazia debates importantes, principalmente no momento histórico que estávamos vivendo, momento em que a população negra no Brasil estava discutindo intensamente o seu espaço de formação de identidade, direitos e deveres?, escreve no livro. Além de relatar as etapas de criação de um filme, Lázaro confidencia no texto suas dúvidas quanto a decisões narrativas e estéticas, assim como os obstáculos de produção e distribuição enfrentados por Medida provisória ? aclamado em festivais nacionais e internacionais. A trama do filme retrata um Brasil distópico, num futuro próximo, em que o Estado decreta uma medida provisória para enviar os negros ? ?cidadãos de melanina acentuada? ? de volta à África, como reparação pela escravização de seus ascendentes. O livro inclui um QR Code para a visualização de 300 imagens do making of do filme Medida provisória. Trechos: ?Nunca pensei que em um só trabalho eu teria tantos aprendizados, alegrias e medos. Agora, desejo de maneira mais apaixonada contar mais histórias estando nesta função de diretor. Alguns associam o diretor a um Deus supremo, discordei disso, ou pelo menos desejei ser um diretor que trabalha de outra maneira. Quero ser um enamorado, alguém que vibra a cada conquista do elenco, que mantém a capacidade de se emocionar e se envolver com cada frame visto na sala de edição, e principalmente alguém que consegue, com uma obra artística, abrir outras compreensões do mundo e assim acender no público a certeza de que existe a possibilidade de melhorar o mundo, mesmo que só um pouco.? ?Nós nos juntamos na sala [no Afrobunker] e oferecemos personagens a cada um deles: advogada, cristão, candomblecista, adolescente, bombeiro, YouTuber, vendedor ambulante... Assim fomos construindo um ambiente onde havia diversidade. A proposta era fazer um laboratório criativo de um dia com esses atores, imaginando o que aconteceria se a medida provisória fosse realmente decretada e se esse neoquilombo de fato existisse. Como cada personagem se comportaria nesse ambiente, nesse esconderijo??
  • 457240

    14,92 %

    Entre Quatro Paredes

    sinopse
    • Neste drama estão todos mortos e, ao contrário do que acreditavam, percebem que o inferno não é uma câmara de tortura, mas uma sala de estar ao estilo do Segundo Império francês. Lá eles irão ? eternamente ? espionar, provocar, tentar seduzir e, acima de tudo, dilacerar uns aos outros. ?O inferno são os outros.? Essa é, certamente, a frase que pontua Entre quatro paredes, peça escrita pelo filósofo existencialista Jean-Paul Sartre em 1944 e publicada no ano seguinte.A ação se passa no inferno, mas não o inferno cristão ao qual estamos acostumados, com demônios, castigos físicos e outros estereótipos. Nele, o jornalista Joseph Garcin, a lésbica Inês Serrano e a fútil Estelle Rigault são levados a um salão sem janelas, iluminado todo o tempo. Ali, enclausurados, são condenados a uma ?vida sem interrupção?, o que torna a sobrevivência insuportável.Confinados na eternidade, os personagens são seres atormentados pelos próprios fantasmas. Questões como culpa, responsabilização, consciência e sexualidade emergem dessa convivência, em conflitos desencadeados pela relação de vigilância e espelhamento entre eles. Conclui-se que, se a presença do outro incomoda, o que realmente exaspera o ser humano é o olhar do outro. ?Sartre ou a nostalgia do idílio universal.? ? Albert Camus?Entre quatro paredes é principalmente um apelo [?] para um autoexame rigoroso por parte de cada indivíduo e para a aceitação de uma atitude de responsabilidade moral em relação a seus atos e pensamentos.? ? Paul Bowles
  • 457021

    14,92 %

    Um Inimigo Do Povo

    sinopse
    • "-Dr. Stockmann ? Muito bem, caros concidadãos. Nada mais direi sobre nossos governantes. Não pretendo criticá-los mais, dizer-lhes mais e mais verdades, não, não mesmo! [...] Estou certo de que todos esses reacionários, todos esses velhos destroços de um mundo que está desaparecendo terão o seu fim natural, cedo ou tarde. Não precisaremos apressar o seu desaparecimento, pois eles acabarão por si mesmos. Não é tampouco essa gente que constitui o perigo mais iminente para a sociedade. Não, não são eles os mais perigosos destruidores das forças progressistas, nem são eles os mais perigosos inimigos da verdade e da liberdade! Gritos por todos os lados ? Quem são? Quem são? Diga! Dr. Stockmann ? Sim, podem ficar descansados, eu direi! Foi esta justamente a grande descoberta que fiz ontem. (Alteando a voz.) O inimigo mais perigoso da verdade e da liberdade, entre nós, é a enorme e silenciosa maioria dos meus concidadãos. Esta massa amorfa, é ela! (Trecho de Um inimigo do povo) UM LIBELO CONTRA A HIPOCRISIA E A UNANIMIDADE Um inimigo do povo foi publicado em Copenhague em 1882 e estreou no Teatro Nacional de Oslo em 13 de janeiro de 1883. Imediatamente foi traduzido para dezenas de línguas e encenado e publicado em quase toda a Europa, numa repercussão digna dos grandes autores franceses que monopolizavam a dramaturgia da época. A estreia em Paris foi marcada por grandes manifestações no teatro de apoio às ideias anarquistas. A enorme repercussão da peça motivou longos e apaixonados artigos do deputado socialista Jean Jaurès e do deputado esquerdista e grande intelectual do seu tempo Georges Clemenceau. Em 1898, voltou a ser apresentada em Paris em meio ao célebre processo Dreyfus, quando as sessões da peça eram seguidamente interrompidas com aclamações de protesto contra o Estado e de apoio a Ibsen e Zola, que pontificava na época com seu célebre libelo libertário J?accuse a favor de Alfred Dreyfus. Um inimigo do povo é uma obra-prima sobre as contradições humanas e a falência do indivíduo frente à unanimidade. Mesmo diante da vontade de praticar o bem comum, o dr. Stockmann entra em choque com os interesses mesquinhos da cidade. Vítima da maioria e da unanimidade, o homem que queria salvar a cidade torna-se o inimigo do povo. Estas ideias de Ibsen aproximavam-se muito das ideias anarquistas, que tinham amplo apoio de importantes segmentos intelectuais e políticos da sociedade da época. A peça é uma impiedosa crítica às elites, aos governos, aos partidos e ao pensamento único. Os Editores"""
  • 456478

    25,98 %

    Kit 5 Volumes - Coleção Clássicos Do Teatro Grego

    sinopse
    • Kit reúne, cinco das principais tragédias gregas, em edições bilíngues. Todas vertidas do original por Trajano Vieira, premiado tradutor da Odisseia e professor livre-docente da Unicamp. Filoctetes e As Traquínias, de Sófocles (496-406 a.C.) Medeia, Héracles e Hipólito, de Eurípides (480-406 a.C.). Filoctetes: O mito do herói grego abandonado em uma ilha durante a guerra de Troia, aqui convertido em tragédia por Sófocles, foi também trabalhado por Ésquilo e Eurípides e, nos tempos modernos, cativou escritores como André Gide e Heiner Müller. As Traquínias: Dentre as tragédias gregas que chegaram até nós, As Traquínias e o Héracles, de Eurípides, que ora se publicam conjuntamente, são as únicas que trazem o grande herói Héracles (ou Hércules, na mitologia latina) como protagonista. A ação da peça de Sófocles se inicia em Tráquis, onde a esposa de Héracles, Dejanira, aguarda o retorno do marido, afastado há tempos do lar para a conclusão de seus doze trabalhos. Considerada por Ezra Pound como "o ponto máximo da sensibilidade grega", acompanhada de um ensaio da célebre helenista inglesa P. E. Easterling. Medeia: A mais famosa peça do grande trágico grego Eurípides narra a vingança da altiva Medeia contra Jasão, depois que este, após ter conquistado o Velo de Ouro com sua ajuda, a rejeita para desposar a filha do rei de Corinto. A tragédia foi incompreendida à época de sua apresentação, em 431 a.C., mas, ao deslocar o foco do coletivo para o individual, dando relevo inédito à psicologia humana e às personagens femininas, a obra de Eurípides se tornaria um dos pilares da dramaturgia moderna e a figura de Medeia, uma das mais marcantes de toda a literatura. Héracles: Dentre as tragédias gregas que chegaram até nós, o Héracles, de Eurípides e As Traquínias, são as únicas que trazem o grande herói Héracles (ou Hércules, na mitologia latina) como protagonista. Enquanto Sófocles segue a tradição, Eurípides constrói uma história totalmente original, estruturando sua peça em dois atos contrastantes, uma criação que desafiou as convenções da Poética de Aristóteles e boa parte da crítica posterior. Obra de feição extremamente moderna, o Héracles tem sido cada vez mais valorizado na atualidade. Hipólito: O casto Hipólito é devoto da deusa da caça, Ártemis, o que provoca a ira de Afrodite, deusa do amor. Esta, para se vingar, faz Fedra se apaixonar pelo enteado. A partir deste enredo, onde se contrapõem honra e traição, Eurípides constrói de forma engenhosa sua tragédia com uma série de pares opostos: Hipólito e Teseu; Fedra e a nutriz (sua criada); Afrodite e Ártemis; além de dois coros: o das mulheres de Trezena e o dos servos de Hipólito.
  • 455337

    17,04 %

    Rainha Lira

    sinopse
    • Enquanto a peça A lata de lixo da história foi o testemunho de Roberto Schwarz sobre o golpe de 1964 após ter voltado do exílio, Rainha Lira é a resposta do autor à barafunda atordoante de nosso mais recente transe. Sua escrita começou durante o impeachment farsesco de Dilma Rousseff, atravessou a eleição de um presidente que tem como bandeira restaurar os anos de chumbo e foi concluída após a temporada na prisão de Luís Inácio Lula da Silva. O leitor logo vai reconhecer pessoas em personagens mas, à maneira das peças de Brecht, aqui elas são figuras dos interesses de classe que se engalfinharam no Brasil desde as manifestações de 2013, transformando nosso país num verdadeiro palco do vale-tudo do capitalismo contemporâneo.
  • 455290

    14,92 %

    A Tempestade

    sinopse
    • Repleta de mistérios, esta peça tem como cenário uma ilha habitada por um poderoso feiticeiro em busca de vingança. Embora seja um dos textos mais breves do autor, sua trama é cheia de reviravoltas que abordam os temas universais da liberdade e do perdão. Considerado o último texto escrito pelo lendário William Shakespeare, A tempestade segue provocando interpretações radicalmente diversas, que vão da releitura fantástica de Neil Gaiman, passando pela psicanálise e chegando ao feminismo pós-colonial de Silvia Frederici. Em uma ilha desabitada que pertencia a uma velha bruxa, Próspero, o antigo duque de Milão, provoca uma tempestade sobrenatural que naufraga o navio onde se encontra seu irmão, que lhe usurpou o título real. É o primeiro passo de um projeto de vingança que sofre diversos imprevistos ? em parte graças à figura misteriosa de Calibã, um dos personagens mais instigantes do autor. Escravo deformado, filho da bruxa que governara a ilha, seu ódio pelo duque é interpretado pelos críticos contemporâneos à luz da revolta dos povos colonizados. A tempestade evoca tanto discussões extremamente atuais sobre a relação entre os seres humanos e a natureza, que segue misteriosa para os olhos científicos e desencantados do homem ocidental, quanto questões de disputas políticas, desforra e até uma história de amor temperada pela magia, mantendo um movimento constante no enredo e divertindo os leitores de todas as épocas. A tradução do premiado José Francisco Botelho valoriza a métrica, dando características oratórias diferentes a cada personagem e reconstruindo o marejar das ondas que circundam a ilha onde se passa a ação. Ao mesmo tempo, sua fluidez e clareza oferecem um Shakespeare acessível para leitores de todas as idades e para aqueles que nunca leram uma obra do autor. ?A magia em A tempestade é real (?) O livro traz muitas questões sem resposta.? ? Margaret Atwood ?Uma obra que apela à imaginação.?? Samuel Coleridge
  • 454961

    10,96 %

    Ligeiro Deslocamento Do Real

    sinopse
    • Esta obra propõe uma investigação das novas formas do fazer teatral e sua relação com as grandes transformações e novos contextos de realidade social, política e cultural que estamos vivenciando. Seu foco não são os textos dramatúrgicos e sim as montagens teatrais que ganham os palcos com linguagens contemporâneas. A primeira parte do livro, nomeada Utopia, analisa espetáculos em constante renovação da linguagem por meio da encenação. A segunda, Compartilhamento de experiência, analisa montagens com ampla troca entre artistas e público. Dispositivo, a terceira parte, foca na interação com o público realizada por meio de mecanismos.
  • 454747

    20,05 %

    Comédias

    sinopse
    • Considerado o fundador da comédia de costumes no teatro brasileiro, Martins Pena tratou em suas peças de temas cuja atualidade surpreenderá ao leitor. Observador sagaz da sociedade do século XIX, que retrata com realismo e em tom anedótico, apresenta gente trabalhadora e ingênua da roça, espertalhões sem escrúpulos e gananciosos de mistérios e tribunais, religiosos da boca para fora e falsas moralistas. Sua crítica , porém, ultrapassa indivíduos e costumes para fazer o espectador -leitor refletir sobre a dimensão política de cada episódio, mostrando uma sociedade patrimonialista, escravocrata, sem apreço pela cultura e que se submete sem pudor ao estrangeiro . Os textos aqui reunidos neste livro expressam a força dos adotados por ele, com linguagem colonial e adaptada ao caráter de cada personagem, a paródia e o humor satírico, razões que tornam sua leitura prazerosa e essencial.
  • 454707

    20,05 %

    Comédias

    sinopse
    • Considerado o fundador da comédia de costumes no teatro brasileiro, Martins Pena tratou em suas peças de temas cuja atualidade surpreenderá ao leitor. Observador sagaz da sociedade do século XIX, que retrata com realismo e em tom anedótico, apresenta gente trabalhadora e ingênua da roça, espertalhões sem escrúpulos e gananciosos de mistérios e tribunais, religiosos da boca para fora e falsas moralistas. Sua crítica , porém, ultrapassa indivíduos e costumes para fazer o espectador -leitor refletir sobre a dimensão política de cada episódio, mostrando uma sociedade patrimonialista, escravocrata, sem apreço pela cultura e que se submete sem pudor ao estrangeiro . Os textos aqui reunidos neste livro expressam a força dos adotados por ele, com linguagem colonial e adaptada ao caráter de cada personagem, a paródia e o humor satírico, razões que tornam sua leitura prazerosa e essencial.
  • 454154

    15,03 %

    A Cidade Assassinada

    sinopse
    • A cidade assassinada, primeiro texto de dramaturgia de Antonio Callado, nasceu como homenagem aos 400 anos de cidade de São Paulo e hoje é um clássico da literatura brasileira. Escrita e encenada na década de 1950, A cidade assassinada transporta o público para o Brasil de 1500 em três atos, junto de personagens históricos e lendários, como João Ramalho e padre José de Anchieta.Com um texto riquíssimo, recheado de camadas históricas e de intertextualidades, Callado apresenta em A cidade assassinada, suas preocupações políticas ? que aparecerão em obras posteriores, como no seu romance Quarup ?, como a condição indígena, a colonização religiosa, a formação do povo brasileiro e a imposição de uma lógica de progresso, que vinha a todo vapor no Brasil de Juscelino Kubitschek.Na peça, a cidade de Santo André da Borda do Campo está ameaçada pelos desejos do governo-geral em transferir o pelourinho (símbolo da presença civilizatória) para a vila de São Paulo. Junto a isso, um conflito de interesses relação ao trato dos indígenas da região se desenha entre a violência física dos primeiros bandeirantes e a violência simbólica dos jesuítas. A guerra entre os homens se aproxima, mas não sem antes considerar a ação decisiva de Rosa Bernarda, mulher e mameluca ? personagem feminina forte, como é marca no teatro de Callado.Ao mesclar memória histórica e ficção, textos clássicos como Auto de Anchieta, Iracema e Cantares de Salomão, o autor, imortal da Academia Brasileira de Letras, é capaz de fazer emergir a própria identidade brasileira. Na peça são apresentados conflitos políticos, que mesmo representados nos interesses entre colônia e metrópole são até hoje perceptíveis, e conflitos amorosos, incluindo a batalha ética entre amor e dever. São discutidas também a própria condição e missão da arte e a busca pela liberdade ? temas particulares e gerais, que são capazes de transpor A cidade assassinada para o rol das grandes obras de alcance universal.
  • 453983

    20,0 %

    Assim É (se Lhe Parece)

    sinopse
    • Representada pela primeira vez em 1917, enquanto a Itália passava pela insegurança da Primeira Guerra Mundial, Assim é (se lhe parece) trata de aspectos da sociedade que encontram ecos nos dias atuais, como a obsessão dos personagens pela vida alheia ? hoje evidenciada pela fixação cada vez maior pelas redes sociais. Neste melodrama burguês, Pirandello explora questões filosóficas fundamentais, colocando em xeque os conceitos de verdade e objetividade. A edição da Tordesilhas Livros traz um posfácio de Alcir Pécora, crítico literário e professor livre-docente na Unicamp, além de cronologia da vida do autor. Por meio de diálogos ágeis e divertidos, Pirandello expõe a história de Frola, uma senhora que se muda para o prédio de uma família da alta burguesia italiana, os Agazzi, e se recusa a recebê-los ? gesto que é encarado com indignação pelo senhor Agazzi. Com o surgimento de Ponza, genro da velha e colega de repartição do senhor Agazzi, a revolta logo se torna perplexidade e curiosidade. Ponza se desculpa pela sogra e pede que todos tenham paciência, pois ela enlouqueceu com a morte da filha e agora está sob seus cuidados. Pouco tempo depois, é Frola quem conta, de forma coerente e sã, ser o genro quem se abalou mentalmente e agora acredita que a esposa está morta. Entre idas e vindas de ambos, a confusão de todos aumenta cada vez mais, beirando o desespero.
  • 453798

    15,05 %

    Exílios E Poemas

    sinopse
    • Volume fundamental que reúne toda poesia publicada em vida por James Joyce, a peça ?Exílios? ? que contém temas posteriormente explorados em Ulysses ? e um conjunto de notas elaboradas pelo autor durante o processo de escrita. Antes da publicação de Ulysses, James Joyce lançava a peça Exílios, em 1918. Nela, o autor explora temas que aparecerão em sua obra magna, como as relações complexas de adultério e desejo. Joyce também trabalhou constantemente em seus poemas e em 1917 lançava Récita privada. Neste volume estão reunidas a peça e também sua produção poética oficialmente recolhida em livro, sendo possível ter uma visão mais ampla da ideia do autor não só sobre o exílio, como também sobre a própria literatura. Além da peça e dos poemas, esta edição conta com um conjunto de notas que Joyce elaborou durante o processo de escrita e alguns fragmentos de diálogos não incluídos na versão final do texto. Tradução de Caetano W. Galindo. Notas, cronologia e sugestões de leitura de Vitor Alevato do Amaral.
  • 453673

    18,05 %

    A Mulher Sem Pecado

    sinopse
    • A mulher sem pecado, de 1941, é sua primeira peça, escrita, diz ele, para ganhar dinheiro. Motivo mais que justo. A genialidade, porém, impõe ao criador um destino para além dele. Num enredo aparentemente simples, já encontramos traços de sua escrita. Olegário, preso a uma cadeira de rodas, é casado com Lídia, sua segunda esposa, por quem nutre um ciúme doentio. Levado por sua obsessão, cria uma verdadeira rede de espiões, personagens comezinhos e próximos da mulher, para ter a prova, não da verdade, mas daquilo que lhe corrói as entranhas. ?A única coisa que me interessa é ser ou não ser traído!?, diz Olegário, esse Hamlet de araque, sem castelo, sem reino, mas possuído por seu dilema existencial. Mas o pai de Hamlet foi mesmo assassinado, e Lídia é fiel! Conhecendo ou intuindo os mecanismos da grande dramaturgia, Nelson nos brinda com um final surpreendente.
  • 453670

    18,04 %

    Toda Nudez Será Castigada

    sinopse
    • Herculano, um viúvo moralista, inicia uma relação conturbada e repleta de sentimentos antagônicos com a prostituta Geni. Opondo-se a toda sua família, casa-se com Geni, e ela acaba se envolvendo com o filho do marido. Essa traição gera ainda outros incidentes, culminando na dissolução familiar. Apontada pela crítica como uma das peças mais amargas de Nelson Rodrigues, Toda nudez será castigada estreou em 1965, com Cleyde Yáconis como protagonista.
  • 452908

    15,07 %

    Ubu Rei

    sinopse
    • A peça precursora do modernismo Dezembro de 1896. Estreia de Ubu Rei, em Paris. Após uma rápida apresentação feita pelo próprio Alfred Jarry (1873-1907), entra Ubu acompanhado de sua mulher, Mãe Ubu, ambos grotescos. Numa Polônia imaginária, Ubu mata o rei, usurpa o poder e inflige aos inimigos todo tipo de tortura, com o auxílio de instrumentos malignos, como uma máquina de desmiolar. Seguem-se mortes, pilhagens, cinismo e covardia, tudo sem meias medidas. Ubu, o primeiro anti-herói da história do teatro, totalmente mau em todos os sentidos, é um concentrado de maldade e violência. Ao mesmo tempo, é irônico, cínico, divertido e ridículo, um espelho grotesco da iniquidade da condição humana. Não à toa, o texto parodia Macbeth, de Shakespeare, além de conter claras referências a Hamlet e Rei Lear. Após a curta temporada de apenas duas apresentações, a peça foi tirada de cartaz e reencenada somente um ano após a morte do autor. Absurdo e irracionalismo filosófico - pedras angulares da cultura do século XX - foram demais para os espectadores do fim do século XIX. Hoje um clássico, Ubu Rei marca também o início da modernidade no teatro, além de ser precursor do dadaísmo, do surrealismo e do teatro do absurdo. Bem menos escandaloso quase cem anos depois, sempre uma obra-prima.
  • 452216

    18,03 %

    Prometeu Acorrentado E A Trilogia De Orestes

    sinopse
    • Ésquilo, é reconhecido como o pai da tragédia grega e o mais antigo dos três grandes dramaturgos gregos, sendo seus conseguintes Sófocles e Eurípedes. Sua obra, portanto, inaugura propriedades no teatro, principalmente no que diz respeito aos personagens. As peças que se encontram neste volume são das mais grandiosas do autor: "Prometeu acorrentado", trazendo o mito do titã que desobedece as ordens dos deuses e é condenado ao terrível castigo de permanecer acorrentado eternamente, e "A trilogia de Orestes", que abarca as histórias de "Agamenon", "As coéforas" e "As eumênides", consideradas a base de toda a tragédia, ao mostrar tanto as atitudes mais nobres quanto as mais hediondas praticadas pelo ser humano.
  • 452175

    18,04 %

    Rei Edipo E Antigona

    sinopse
    • Sófocles é reconhecidamente um dos maiores dramaturgos da história. De acordo com os estudiosos de sua obra, escreveu mais de uma centena de peças, mas menos de dez sobreviveram ao tempo e podem ser lidas por completo atualmente. Isso, entretanto, não impediu que seu valor ultrapassasse os séculos ou influenciasse a cultura ocidental até hoje. Neste volume estão presentes as duas obras de maior importância de Sófocles: "Rei Édipo" e "Antígona". A primeira expõe a trajetória do grande mito do rei de Tebas e seu fatídico destino professado pelo Oráculo. A segunda traz a sequência dos acontecimentos e a luta da personagem filha de Édipo em busca de justiça em um mundo de guerra.
  • 452170

    18,04 %

    Medeia As Bacantes E As Troianas

    sinopse
    • Eurípedes é um dos maiores nomes da dramaturgia grega trágica. Mais jovem que seus conterrâneos Sófocles e Ésquilo, o autor foi capaz de ressaltar e desenvolver questões que atingem desde indivíduos até sociedades. Suas obras presentes neste volume trazem, ainda, cada qual de um modo característico, pontos de vista femininos perante as grandes tragédias do mundo. Medeia, com a representação da mulher repudiada que se revolta contra aqueles que a perseguem. As bacantes, com a figura de uma mãe que, ao recusar venerar o deus Dionísio, sofre, junto a seu filho, a punição da ira divina. As troianas, que mostra os caminhos e destinos das prisioneiras após o fim da Guerra de Troia.
  • 449928

    24,04 %

    Uma Rede Para Iemanja

    sinopse
    • Uma rede para Iemanjá é um emocionante auto de Natal afro-brasileiro com o poder da cultura negra, através das palavras de Antônio Callado. Esta edição conta ainda com apresentação da grande atriz Zezé Motta. Na abertura de Uma rede para Iemanjá, peça escrita pelo célebre autor Antônio Callado em 1961, Pai de Juca está sentado em um banco de praia e olha para o mar em prece. Iemanjá levou seu filho e, com ele, talvez, seu tino. Como a figura de um preto velho, Pai de Juca pode ser considerado um guia, presente em todas as ações da peça e responsável por mesclar realidade e fantasia. Através de seus olhos surgem Manuel Seringueiro, Lili e Jacira - esta última grávida e com um desejo imenso de responder ao chamado que o mar lhe faz.Única peça do Teatro Negro de Callado que se passa em espaço aberto, Uma rede para Iemanjá pode ser lida como uma representação da condição do Brasil à época. Na cidade do Rio de Janeiro, que lhe serve de cenário, há o encontro do mar com o progresso urbano, a verticalização, a presença da migração nordestina, o sincretismo religioso, a mistura de negros e brancos. Estão em cena também o abandono, a esperança e a fé. A rede é o artefato simbólico que permite abraçar e embalar todas as dimensões apresentadas por Callado e que move a vontade de Jacira, é o que representa seu vínculo com a família, um lugar de pertencimento. Seu filho, portanto, só poderá nascer ali.A professora e crítica literária Ligia Chiappini observa que, apesar de certa melancolia, há força da esperança nessa representação: "A peça, que parodia o nascimento de Cristo, o faz renascer a céu aberto [...] podendo ser lida como uma versão afro-brasileira de um auto de Natal." Uma rede para Iemanjá contém a beleza, a simplicidade e também a complexidade de tantos brasis que só mesmo Antônio Callado conseguiria embalar e encantar numa única rede.Esta edição conta com apresentação da atriz Zezé Motta, prefácio de João Cezar de Castro Rocha, professor titular de Literatura Comparada da UERJ e perfil do autor por Eric Nepomuceno.
  • 449334

    42,98 %

    Otto Lara Resende Ou Bonitinha Mas Ordinaria

    sinopse
    • """O mineiro só é solidário no câncer."" A partir desta frase de Otto Lara Resende, que define com amargor a essência humana, Nelson Rodrigues constrói um enredo que revisita elementos de seu teatro. O enredo de ""Otto Lara Resende ou Bonitinha, mas ordinária"" gira em torno das hesitações do contínuo Edgar entre aceitar a proposta de se casar com a filha do dono da empresa em que trabalha e que alega ter sofrido um estupro bárbaro ou manter-se fiel ao seu verdadeiro amor por Ritinha, moça pobre que precisa se prostituir para sustentar a mãe louca e as três irmãs. Esta nova edição traz na orelha trecho de um texto que o próprio Nelson escreveu para o programa da peça na época de sua estreia."
  • 448313

    35,0 %

    Grupo Galpao

    sinopse
  • 447695

    23,05 %

    Troianas, As

    sinopse
    • A peça As Troianas, de Eurípides (c. 480-406 a.C.), trata do destino das mulheres de Troia após a derrota da cidade para os gregos, ao final da famosa guerra imortalizada por Homero na Ilíada. Aprisionadas pelas tropas lideradas por Agamêmnon, as protagonistas da peça, incluindo Cassandra, Andrômaca e Helena, lamentam seus infortúnios tendo Hécuba, a rainha troiana, como figura central. Encenada em 415 a.C. em Atenas, meses após o massacre de Melos pelos atenienses, a peça acabou se tornando um verdadeiro libelo contra as atrocidades da guerra. A presente edição, bilíngue, traz a primorosa tradução de Trajano Vieira e textos críticos de Jean-Paul Sartre e do helenista britânico Chris Carey.
  • 447426

    23,05 %

    O Casamento Suspeitoso

    sinopse
    • "Na peça ""O Casamento Suspeitoso"", escrita em 1957, Ariano Suassuna dá continuidade ao seu projeto de realizar um teatro brasileiro erudito a partir de elementos extraídos da cultura popular, apresentando ainda, como pano de fundo, uma visão religiosa do homem e do mundo com enfoque no pecado da luxúria. A estética circense, já presente no ""Auto da Compadecida"", permanece aqui, na dupla de personagens formada por Cancão e Gaspar, herdeiros diretos dos palhaços que marcaram o autor desde a infância. Valendo-se de jogos de cena consagrados pela tradição da comédia mediterrânica, Suassuna reafirma neste texto sua mestria absoluta no domínio das situações risíveis."
  • 447164

    24,06 %

    Doroteia

    sinopse
    • Depois da morte do filho, Doroteia resolve abandonar a prostituição e procurar por suas primas em busca de uma vida virtuosa. As três viúvas, no entanto, a repudiam por causa de seu passado e por julgarem que sua beleza atrai o pecado. Para aceitá-la, elas lhe impõem uma condição: precisa ficar feia. Doroteia, que estreou em 1950, é uma peça em que os homens estão ausentes, só aparecendo na fala das personagens femininas. Esta edição conta com posfácio de Sergio Fonta e orelha assinada por Santa Rosa, cenógrafo da primeira montagem.
  • 438574

    14,94 %

    Quatro Pecas

    sinopse
    • Quatro clássicos do repertório teatral reunidos em edição comentada, com nova tradução de Rubens Figueiredo. Anton Tchékhov é um dos principais nomes da literatura mundial. Filho de um pequeno comerciante falido, Tchékhov formou-se em medicina, mas, já na faculdade, começou a contribuir para revistas literárias. Entre 1896 e 1904, ano de seu falecimento, escreveu as quatro peças que compõem este volume - e que se tornaram clássicos do repertório teatral. Em "A gaivota", um jovem escritor enfrenta o fracasso de uma de suas criações enquanto lida com uma decepção amorosa, já em "Tio Vânia", uma cidade do interior vê seu pacato cotidiano ser balançado pela chegada de um professor e sua filha, "Três irmãs" narra as aspirações e frustrações de mulheres do interior da Rússia, e em "O jardim das cerejeiras", última peça escrita pelo autor, os dilemas entre o campo e a cidade são trazidos à tona. Sempre trabalhando com uma galeria de personagens diversos e surpreendentes, Tchékhov explora como poucos as frustrações humanas. Tradução, apresentações e notas de Rubens Figueiredo.
  • 437853

    11,0 %

    A Mulher Arrastada

    sinopse
    • A peça A mulher arrastada, do dramaturgo e roteirista Diones Camargo, foi escrita a partir da trágica história real, que ocorreu no Rio de Janeiro em 2014. Cláudia Silva Ferreira - mulher negra, pobre, 38 anos, auxiliar de limpeza em um hospital, mãe de quatro filhos biológicos e quatro adotivos - foi brutalmente alvejada pela Polícia Militar quando saía de casa no Morro da Congonha, no Rio, para comprar pão para sua família. Depois dos tiros, seu corpo foi atirado num camburão, tendo ficado parte dele para fora da viatura. A mulher foi então arrastada, ainda com vida, sob o olhar horrorizado de pedestres e motoristas. Entrelaçando o caso verídico e uma narrativa ficcional, esta premiada peça-manifesto resgata a figura trágica de Cláudia e a transporta ao centro da cena para reivindicar o que durante a cobertura jornalística do caso foi aos poucos sendo apagado: seu nome, elemento este que foi substituído pela cruel alcunha de "mulher arrastada". A peça conquistou mais de dez prêmios - incluindo quatro de Melhor Espetáculo - e desde sua estreia, em 2018, vem participando de importantes mostras no Brasil e no exterior, tendo percorrido mais de 28 cidades brasileiras. "A mulher arrastada coloca em cena o que não é visto, nem ouvido, mas está aqui. É dramaturgia com poder de síntese e capacidade poética instaurada. É preciso ler e reler. Por isso, boa leitura, ou melhor, boa escuta a quem estiver de posse deste livro. Que bons ventos nos guiem." Dione Carlos - dramaturga, roteirista e atriz
  • 437300

    49,16 %

    Antigona

    sinopse
    • O clássico de Sófocles com tradução de Millôr Fernandes. "[...] Antígona ainda é a peça de teatro mais representada do mundo 2.500 anos após sua estreia." - BBC Antígona, peça de Sófocles, aqui traduzida pelo grande escritor e dramaturgo Millôr Fernandes, traz o embate entre um rei e sua sobrinha. De um lado, há um monarca que acredita ter um poder sem limites, e, de outro, uma jovem rebelde decidida a assumir uma sentença fatal, alegando agir em nome de leis naturais, verdadeiramente supremas, que precederiam os poderes do soberano.Na introdução, Adriane da Silva Duarte, professora de Literatura Grega na USP, afirma que Antígona "ganha relevância sempre que, assombrados pelos mortos, precisamos resistir". E não é difícil para nós, leitores contemporâneos deste clássico, reconhecermos o que ela nos explica. O confronto entre Creonte e Antígona encena rivalidades centrais da experiência humana - a justiça e a injustiça, o direito natural e o direito positivo, a sociedade e o indivíduo, o Estado e a consciência, a prática e a moral, a submissão e a rebeldia, o masculino e o feminino, o velho e o jovem.No posfácio, o aclamado diretor, ator e professor de teatro Amir Haddad pergunta: "Como posso atender um chamado forte dentro de mim sabendo que a realização desse desejo não será bem recebida pelo mundo em que eu vivo?" Essas são algumas das questões levantadas por esta peça, as quais desde a Antiguidade, têm se mostrado atemporais e, portanto, tão próximas à nossa vida.
  • 435579

    26,96 %

    By Heart E Outras Pecas

    sinopse
    • Um dos mais inquietos criadores da arte contemporânea, o premiado dramaturgo português Tiago Rodrigues combina em seus textos o teatro, a ficção, o ensaio e a poesia, com uma liberdade verdadeiramente revolucionária. By Heart e outras peças - primeiro livro do autor publicado em nosso país - reúne cinco obras, incluindo Natalie Wood, Três dedos abaixo do joelho, Antonio e Cleópatra (inédito em língua portuguesa) e Sopro, escritas entre 2009 e 2017, que exploram dimensões temporais radicalmente novas, ultrapassam de longe o senso comum e mostram como o presente pode ser construído, poética e politicamente, por muitas perspectivas diferentes.

Produtos encontrados: 172 Resultado da Pesquisa por: em 10 ms

Itens por página:

Produtos selecionados para comparar: 0Comparar